Reivindicações do Taboão para o Projeto Mogi 2040

A Associação Gestora do Distrito Industrial do Taboão (Agestab) encaminhou à Prefeitura Municipal uma lista com 22 medidas sugeridas pela entidade para assegurar o desenvolvimento daquela região, considerada mais promissora para a industrialização de Mogi das Cruzes. A entidade que reúne representantes das empresas ali instaladas destinou suas propostas para o Projeto Mogi 2040, que está reunindo, em um livro, medidas a serem levadas em conta pelos futuros prefeitos que estiverem empenhados no crescimento sustentável e equilibrado do Município. “O Distrito é apontado sempre como ‘a galinha dos ovos de ouro’ de Mogi, porém precisa receber ‘mais milho’ e ‘poleiros’ em condições adequadas”, destaca o documento da Agestab. Entre as reivindicações, está um trevo de acesso para a Rodovia Ayrton Senna, no distrito do Taboão; a duplicação da Mogi-Dutra até Arujá; duplicação da Estrada do Taboão; construção de baias na Estrada do Taboão para pontos de ônibus e áreas de ultrapassagem; plano viário para o Taboão; regularização de ruas, com logradouros e CEP; pavimentação e urbanização de todas as vias do Bairro; serviço de Correios; proibição definitiva de aterros sanitários no Taboão, além de reforço no transporte público. Como se pode notar, são medidas nem um pouco complicadas que não precisariam esperar até 2040 para serem executadas. Vejamos as demais: instalação de rede de monitoramento por câmeras de segurança; reforço na rede de fornecimento de energia elétrica; operações constantes de tapa-buraco e roçagem; reforço na sinalização de trânsito; ampliação do serviço de telefonia e internet; construção de posto de saúde e creches, além de quadras poliesportivas; parque com área de lazer; base da Polícia Militar; e, por fim, talvez a mais importante delas: um plano piloto para toda a eegião do Taboão, definindo áreas para cultivo, extração de solo e industrial. Um plano que aponte também os locais que poderão receber novas avenidas,ruas e acessos, trechos residenciais e serviços públicos. Por fim, a instalação de uma Administração Regional no Taboão.

Lava Jato
O advogado mogiano Carlos Fernando de Faria Kauffmann conseguiu a absolvição de seu cliente, o empresário e engenheiro José Antunes Sobrinho, sócio-proprietário da empresas Engevix, um dos acusados de crimes de corrupção pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. O empresário, já beneficiado com prisão domiciliar, recebeu a sentença absolutória do juiz Sérgio Moro. Carlos Kauffmann, um respeitado criminalista com escritório na Capital, é filho do advogado trabalhista Mário Kauffmann, de Mogi.

Fórum LGBT
A jornalista Soninha Francine, a professora de Filosofia Luiza Coppieters, e Todd Tomorrow, do Grupo Pedra no Sapato, participam hoje, a partir das 19 horas, na Câmara de Mogi, do seminário “Os Direitos da População LGBT”. As palestras abordarão os direitos sociais da comunidade LGBT e o papel do poder público no combate à discriminação que essas pessoas enfrentam na Cidade. O reivindicado Conselho Municipal LGBT fará parte dos debates.

Influentes
É de Mogi das Cruzes o farmacêutico Paulo Henrique de Oliveira, indicado entre os “Cem Mais Influentes da Saúde no Brasil” pela revista Management – Tendências, Líderes e Práticas, num ranking que busca valorizar os profissionais de maior atuação pela saúde do País. Oliveira destacou-se na categoria “Qualidade e Segurança” pelo seu trabalho como gerente corporativo da Rede de Hospitais São Camilo, de São Paulo. O mogiano receberá o prêmio hoje, às 18 horas, durante Feira Hospitalar, no Expo Center Norte, na Capital.

Internado
O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes, Airton Nogueira, está internado na UTI do Hospital Beneficência Portuguesa, desta vez para tratamento de uma embolia pulmonar detectada no momento em que ele se preparava para iniciar um processo de quimioterapia. Airton passa bem e deve ser transferido para o quarto do hospital ainda hoje para dar continuidade aos tratamentos.

COTIDIANO

Com o garotinho sobre a sela, o cavaleiro se ajoelha defronte a Catedral  para reverenciar e pedir bênçãos ao Divino, durante a Entrada dos Palmitos / Foto: Eduardo dos Santos - Divulgação
Com o garotinho sobre a sela, o cavaleiro se ajoelha defronte a Catedral para reverenciar e pedir bênçãos ao Divino, durante a Entrada dos Palmitos / Foto: Eduardo dos Santos – Divulgação

FRASE

Não entendo, como argumentou o Ministério Público Federal, que o condenado dirigia a ação dos demais políticos desonestos, não estando claro de quem era a liderança.

Sérgio Moro, juiz da Operação Lava Jato, na sentença de 23 anos para José Dirceu, demonstrando dúvidas sobre quem seria o líder da corrupção no governo