CARTAS

Réplica a Furlan

Em que pese, “data venia”, a resposta ao meu texto “Caça às bruxas”, por parte do vereador Marcos Furlan, vale dizer que apenas trouxe à tona o quanto o nobre edil é desinformado e mal assessorado nas questões que norteiam a política local. Quanto ao vínculo deste advogado com a Diretoria de Ensino, gostaria de dizer que o direito de cidadania está implícito constitucionalmente, dando azo e fundamento para a fiscalização dos órgãos públicos sob a forma e direitos normatizados em lei. Atuo há mais de 30 anos na área administrativa da Secretaria de Educação em defesa dos que têm seus direitos violados. Não bastasse isso, tenho uma diretora de escola como esposa, também há 38 anos. Vínculo, nobre vereador, não me falta, como também não falta coragem para denunciar desmandos e arbitrariedades. Não confunda direito com politicagem; esta última, é típica do Legislativo, que merece sim, ser fiscalizado. O vereador saiu do foco, que dizia respeito à “caça às bruxas”, justamente por não ter argumento plausível para discutir o tema. O cargo de dirigente de Ensino diz respeito diretamente ao corpo docente e discente, sendo indicado politicamente, o que dá margem a ocupação por pessoas despreparadas e arbitrárias,  o que não é o caso da atual dirigente, aliás,  benquista por todos os setores, em razão da competência e transparência. Ao contrário da gestão passada, que, ao que parece, é defendida pelo vereador.

Já quanto à postulação de tempos passados, novamente informo tratar-se de direito de cidadania e caso Vossa Excelência queira melhor se informar, coloco-me à  disposição para o que reza nossa Carta Maior. Por fim, estarei sempre atento às reivindicações justas e perfeitas, cumprindo meu direito de cidadão até mesmo para combater e denunciar  o despotismo no Legislativo, que aliás, vem maquiado para burlar os competentes órgãos de fiscalização. É a cidadania nobŕe vereador! Fica aqui o meu protesto.

Horácio Xavier Franco Filho
horacioxavier@uol.com.br