ARTIGO

República

José Francisco Caseiro

ciesp@ciespaltotiete.com.br

Os 130 anos da Proclamação da República, completados neste 15 de novembro, nos permitem uma constatação: o brasileiro realmente é um povo resistente. Por mais que dificuldades fossem previstas, eu duvido que Marechal Deodoro, nos idos 1889, imaginava a quantidade de obstáculos que viriam nas décadas subsequentes e chegássemos a 2019 com gargalos que lá atrás já se faziam presentes, como o desequilíbrio econômico e alta tributação.

Mais do que o feriado que o brasileiro sempre aguarda, a data da Proclamação da República merece ser encarada como um importante momento de reflexão dos rumos do País, principalmente diante dos períodos tensos vividos por vizinhos nossos, como é o caso da Venezuela, Bolívia e do Chile.

Você pode estar se perguntando o que tudo isso tem a ver com a indústria, área em que milito. E eu respondo, tudo! O ambiente de incerteza e oscilações impede uma retomada vigorosa da economia. Num mês os indicadores são positivos, no seguinte despencam e a indústria, que amargou duras perdas nos últimos anos, tem dificuldades de encontrar o equilíbrio entre demanda e produção. Com isso, processos de modernização são suspensos e postos de trabalho fechados.

É uma situação semelhante ao que vemos em outros aspectos. Ao mesmo tempo que avança com a Reforma da Previdência e a proposta de reduzir os gastos públicos, medidas essas com grande possibilidade de impactar positivamente a economia nacional, o Brasil volta várias casas, por exemplo, com a decisão referente a prisão em segunda instância, que coloca na rua inúmeros presos.

A conclusão que chego é que embora estejam acontecendo as reformas estruturais que o Brasil tanto precisa, ainda temos uma longa caminhada pela frente e muito a se fazer para que os investimentos aconteçam e, principalmente, para retomar o emprego e devolver a dignidade aos brasileiros. Isso é primordial para que o sonho da República, mesmo décadas depois, se torne uma realidade.

José Francisco Caseiro é diretor do Sistema Fiesp/Ciesp no Alto Tietê


Deixe seu comentário