INFORMAÇÃO

Republicanos se estrutura para apoiar Marcus Melo

CIVILIDADE Infelizmente, a cidade ainda é vítima de cidadãos que transformam calçadas em lixeiras, como perto do Mogi Plaza (Foto: Augusto Neto – Divulgação)

Partido quer eleger pelo menos dois vereadores em 2020

Estruturar o futuro Diretório Municipal e preparar uma chapa capaz de eleger ao menos dois vereadores nas eleições municipais do próximo ano são algumas das preocupações mais urgentes do presidente da Comissão Provisória do Republicanos (antigo PRB) de Mogi das Cruzes, o advogado e atual secretário municipal de Governo, Marco Soares. À frente da agremiação que se tornou conhecida por abrigar, em seus quadros nacionais, lideranças da Igreja Universal do Reino de Deus, o mogiano Soares já deu início ao processo de preparação para o próximo pleito, por meio de reuniões com os futuros integrantes da chapa de pré-candidatos a vereador pelo partido. A meta é formar uma chapa completa, com 34 candidatos, para que ao menos dois consigam marcar presença na Câmara a partir da próxima legislatura, em janeiro de 2021. Apesar de a direção nacional do Republicanos ter recomendado o lançamento de um candidato a prefeito nas cidades com mais de 200 mil eleitores, como é o caso de Mogi, o advogado já anunciou que o partido na cidade irá integrar a base de apoio à candidatura à reeleição do atual prefeito, Marcus Melo (PSDB). O presidente está otimista, tanto com as chances de seu partido, como de uma reconciliação geral dentro do grupo político ao qual pertence. Soares não acredita que Melo e o ex-prefeito Marcos Bertaiolli (PSD) continuarão distanciados durante a futura campanha. “Entendo que entre os dois sempre houve uma amizade muito sólida e forte. O que está havendo são ruídos e, por isso, acredito que ambos acertarão os ponteiros pelo bem da cidade. Estarão juntos, pois isso é o melhor que pode acontecer para a nossa Mogi”, disse. Com 31 deputados federais e cinco estaduais, o Republicanos terá bom tempo de tevê e um fundo partidário razoável para facilitar a próxima campanha, onde o partido já desponta com alguns bons de votos, como é o caso de Celso Russomano, pré-candidato a prefeito de São Paulo, assim como o deputado Jorge Wilson, provável candidato a prefeito de Guarulhos. Em Mogi, o presidente promete uma boa chapa de vereadores. Até o próximo pleito, Soares já terá transformado a atual comissão provisória em Diretório Municipal para cumprir uma das exigências da atual legislação eleitoral em vigor.

Sucesso – 1

O jornal Valor trouxe a história do mogiano Adilson Tomio Tadocoro, que chegou no Japão há 23 anos para trabalhar com beneficiamento de arroz, fez curso para soldador e hoje é dono da Tadocoro Mutsuki Kougyou (TMK), fábrica de componentes para trens, que participa da produção de 500 vagões por ano, tem 115 empregados e faturou 1,2 bilhão de ienes (US$ 11 milhões), em 2018.

Sucesso – 2

A sede da TMK se localiza em Fujisawa e a fábrica em Yokohama. Para 2020, o mogiano projeta crescimento de 50%, com uma nova unidade, em Hiroshima. Cerca de 60% dos empregados são brasileiros. O salário médio bruto anual é de 1,2 milhão de ienes (US$ 66 mil). Adilson se encontrou com Jair Bolsonaro, na semana passada, durante a visita do presidente ao Japão.

Luto

Menos de um mês após a morte de seu pai, Antonio José Stringhini, no último dia 5, o bispo diocesano de Mogi das Cruzes, dom Pedro Luiz Stringhini, voltou a ser surpreendido por outra notícia desagradável. Seu irmão, Antonio José Stringhini, faleceu na tarde de terça-feira (29), após complicações decorrentes de uma cirurgia cardíaca. O religioso acompanhou o sepultamento, ontem à tarde, no Cemitério Municipal da Saudade, em Laranjal Paulista, interior de São Paulo.

Pelo telefone

Estão se tornando cada dia mais comuns as comunicações telefônicas de falsos sequestros, feitas, geralmente, do interior de cadeias, por integrantes de facções criminosas, que tentam obter resgates enganando seus interlocutores. Para convencer as vítimas, os marginais armam um verdadeiro teatro, com vozes femininas e masculinas se fazendo passar por parentes próximos, que imploram a liberação do dinheiro pretendido em troca de sua “liberdade”. Sob forte emoção, muita gente acaba depositando o suposto resgate em contas dos bandidos, antes de descobrir que caiu num golpe.

Frase

Facilidade é o nome que os vagabundos dão ao esforço alheio.

Leandro Karnal, historiador brasileiro, professor da Universidade Estadual de Campinas, especializado em História da América

Deixe seu comentário