ENSINO

Retomada das aulas em Mogi começa a ser debatida

ALTERNATIVA Rede municipal de ensino de Mogi das Cruzes distribui material a alunos. (Foto: divulgação)

Desde que as aulas presenciais tiveram de ser suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus, o que aconteceu no dia 23 de março, a Secretaria Municipal de Educação vem pensando em medidas para serem adotadas com os alunos de Mogi das Cruzes. Uma delas, foi a distribuição de 39.282 livros para serem usados no ensino a distância. Alguns endereços errados ou a falta de pessoas em casa para fazer o recebimento atrasou a entrega do material, que agora já foi quase toda finalizada.

“Tem a questão do endereço que não é compatível, mas muitas vezes também a localização fica difícil porque os pais ainda estão trabalhando e ficam fora de casa o dia inteiro. Então, a criança precisa ficar na casa de alguém, às vezes até mesmo em outra cidade, o que dificulta esse processo. Nós temos deixado recado para essas famílias e vamos começar a enviar cartas. A ideia é divulgar o máximo possível”, explica a chefe da pasta, Juliana Guedes.

Ela orienta que os responsáveis que ainda não tiveram acesso ao material busquem as unidades escolares. Todas elas possuem páginas nas redes sociais e o contato pode ser feito por lá, já que as portas estão fechadas. Algumas adotaram números de WhatsApp para facilitar a comunicação. A troca de informação entre vizinhos também é uma opção. É possível também enviar um e-mail para a Secretaria (sme@se-pmmc.com.br), com dados como o nome do aluno, a escola onde estuda, o problema e um número de telefone.

A colaboração por parte dos responsáveis deve existir não apenas no momento de retirada dos livros, mas também durante a rotina dos jovens, que devem reservar um tempo para estudar. Caso isso não aconteça, o atraso no ano letivo pode ser grande para aquele aluno, que precisará contar com aulas de reforço quando o ensino presencial for liberado. Com os livros e as videoaulas – que podem ser acompanhas pela internet ou pela TV Câmara – a intenção é minimizar os impactos dessa paralisação.

“Para que isso dê certo a gente necessita que os pais colaborem no sentido de organizar esse tempo de estudo para os filhos. Mais de 60% dos alunos já estão fazendo atividades online e em algumas regiões temos 90%. Ainda assim precisamos dessa organização, porque é disso que todo o resto, como um bom retorno das aulas, depende. É ideal usar os livros e o material online, mas caso não haja o acesso à internet as próprias escolas já estão fazendo esse mapeamento para ajudar como for possível, até mesmo com atendimentos por telefone”, reforça Juliana.

A rede municipal é responsável pela educação dos alunos mais novos que frequentam as creches, a Pré-Escola e parte do Ensino Fundamental I. Segundo a secretária, um volume alto desta faixa etária já frequenta as escolas da Prefeitura, o que deve aumentar daqui pra frente. Isso porque os pedidos de transferência da rede particular – que costuma ser mensais ou até mesmo bimestrais – aumentaram e estão acontecendo até 5 vezes por semana desde o início da pandemia.

Estado recebe alunos da rede privada

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo informou que o número de alunos transferidos da rede particular para a estadual cresceu mais de dez vezes nos meses de abril e maio deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Neste ano, foram 2.388 transferências de estudantes oriundos da rede particular, contra 219 em 2019.

A pasta abriu, pela primeira vez, a possibilidade de as matrículas serem feitas de maneira totalmente online. A medida visa evitar o deslocamento das famílias, formação de aglomerações nas escolas e assim diminuir o risco de contaminação do coronavírus.

Poderão manifestar interesse pela migração para a rede estadual os pais dos alunos com matrícula na rede privada ou vindo de outros estados. A matrícula é para o ano letivo vigente. As matrículas 2021 ainda não estão abertas. Já as transferências entre redes públicas estão temporariamente suspensas e devem ser retomadas após o retorno das aulas presenciais.

Para efetuar a pré-matrícula, é necessário acessar o site sed.educacao.sp.gov.br/NCA/PreInscricaoOnline/login e preencher as informações solicitadas. Será preciso fazer o upload dos documentos no mesmo endereço eletrônico. As informações serão verificadas e as matrículas validadas pelas próprias escolas.


Deixe seu comentário