CIRCUITO

Ricardo Baldarena: “É preciso aprender a conviver” com a pandemia

Ricardo Baldarena. (Foto: divulgação)

Proprietário da Offer, casa que comercializa bebidas e alimentos nacionais e importados em Mogi das Cruzes desde 1990, Ricardo Baldarena diz que foi preciso se “reinventar” para manter o mercado ativo durante a pandemia do novo coronavírus. Aliado a um atendimento especializado via WhatsApp e a “promoções e ofertas”, a principal estratégia por ele adotada foi o delivery. Nesta entrevista, além de comentar como estão as vendas, o empresário se mostra otimista para a retomada econômica e define a realidade atual como uma “fase nova”, que depende de adaptações e mudanças.

No sentido comercial e também de modo geral, como tem sido o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus?

Esse enfrentamento comercial está sendo muito difícil para todos os comerciantes e empresários, porque ninguém esperava que fosse acontecer tudo tão rápido, e não estávamos preparados para uma pandemia dessa, que influenciasse diretamente nos negócios e nas pessoas de modo geral. No início, as pessoas que tinham mercadoria, como quem trabalha com alimentos ou é mercadista, tiveram que mudar seus hábitos. A Offer ficou 15 dias fechada, pois não tínhamos conhecimento se poderíamos abrir, e também não se sabia exatamente como o vírus era transmitido. Depois desse período abrimos e tentamos operar com menos colaboradores, em sistema de rodízio e em horário diferenciado, ou seja, foi preciso se enquadrar a uma nova realidade.

Que desafios o Covid-19 trouxe ao mercado de bebidas e alimentos? Foi preciso se reinventar de alguma maneira?

Precisamos nos se reinventar mudando os hábitos, assim como os clientes, que nas duas ou três primeiras semanas não saíam de casa. A reinvenção vem de acordo com as ferramentas que temos na mão, e de um lado foi bom porque aprendemos muita coisa. O mercado é muito oscilante, então o empresário precisa estar antenado no que vai acontecer. Ativamos fortemente nosso WhatsApp e mídias sociais, e pegamos o cadastro dos clientes, para entrar em contato enviando sugestões de produtos. Como conhecemos os consumidores, o que eles gostam e consomem, mandávamos fotos e preços, e passamos a trabalhar dessa maneira. Quando abrimos de novo a loja, começamos a atender de novo os clientes, mas com movimentação menor.

A Offer tem praticado o delivery, certo? A modalidade foi bem aceita?

O delivery foi praticamente o que nos ajudou a impulsionar as vendas. Para isso, fomos “obrigados” a nos preparar melhor no atendimento do WhatsApp, estruturando melhor nossa plataforma de atendimento para atender de forma eficaz, eficiente e correta, atingindo as necessidades dos clientes e também nosso objetivo, que é vender, não deixar o mercado parado.

O delivery funciona muito bem para quem já sabe exatamente qual produto vai levar. Mas e para quem não sabe, e antes se informava na loja? Há algum tipo de atendimento especial à distância?

Então, para quem já conhece o que quer comprar o atendimento pelo WhatsApp é mais fácil. Mas o cliente que quer comprar produto e não sabe qual, tem dúvida seja para ele próprio ou para dar de presente, a gente se preparou. Fazemos atendimento totalmente especial para estes clientes, enviando várias sugestões de bebidas, vinhos e outros tipos de produtos, como whiskies, através de fotos. A pessoa recebe o material e escolhe assim, por meio de um bate papo pontual e imediato.

Infelizmente a presença do novo coronavírus fez a sociedade modificar costumes em datas comemorativas, como os tradicionais almoços de Páscoa e Dia das Mães. Tendo isso em mente, como foram essas datas em relação às vendas? E também como está a expectativa para o Dia dos Namorados?

Antes, as pessoas se reuniam com amigos e a família nessas datas. Mas na Páscoa a reunião de família praticamente não aconteceu, com cada um na sua casa. Isso realmente atrapalhou um pouco a comercialização de produtos, mas é o que costumo dizer, é uma fase nova que estamos vivendo e temos que aprender a conviver com isso por enquanto. A expectativa para o Dia dos Namorados até que é boa. Francamente acho que ninguém vai ter o movimento dos anos anteriores, mas vai ter movimentação sim, vai se vender, vai ter negócios, principalmente via WhatsApp e mídias sociais.

Durante a pandemia muitas famílias estão dando prioridade a compras de primeira necessidade. Diante desse cenário, como estimular a venda de bebidas?

Como estamos passando por um momento difícil economicamente, muitas famílias estão realmente dando prioridade a compras de primeira necessidade, então o que estamos fazendo para estimular nossa venda é trabalhar com várias promoções e ofertas. A Offer, mesmo neste cenário de aumento de dólar, não está repassando este custo, porque ainda temos estoque, então vamos vender o que temos, acreditando que o dólar tende a cair.

Além da venda de bebidas, a Offer vinha, antes do novo coronavírus, movimentando o circuito social da cidade com eventos para apreciadores de vinhos. Como este tipo de ação se encaixa no cenário atual? Há planos para o retorno destes encontros?

Antes da pandemia, o espaço Offer vinha realizando bastante eventos, inclusive corporativos, de confraria e degustações na loja, até mesmo alguns cursos e harmonizações muito interessantes. Com a pandemia, tivemos que suspender tudo, e já tínhamos agenda confirmada até julho deste ano. Inclusive nossa mega degustação, que fazemos há 11 anos para 500 pessoas no Clube de Campo, foi cancelada também. Mas temos certeza que tudo vai passar, e assim que isso acontecer vamos retomar todos os nossos eventos, nosso calendário festivo de promoções.


Deixe seu comentário