Risco de deslizamentos durante o período chuvoso preocupa motoristas que utilizam a Mogi-Bertioga

CONCRETO DER informou que empregou frentes de trabalho para obras de contenção de talude. (Foto: arquivo)
CONCRETO DER informou que empregou frentes de trabalho para obras de contenção de talude. (Foto: arquivo)

O período chuvoso já causa alerta ao motorista, que precisa reduzir a velocidade durante a viagem, para garantir a segurança. Mas, para quem utiliza a Mogi-Bertioga (SP 098), a insegurança é ainda maior, após a série de deslizamentos que a rodovia sofreu, desde o início do ano passado. Os registros de altas temperaturas já têm congestionado a via. Com o verão se aproximando, vem também os temporais e a preocupação do usuário se os episódios de desmoronamento de talude também reaparecem. A reportagem de O Diário questionou o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) sobre o que já foi realizado para reforçar a segurança na litorânea.

O órgão do Governo do Estado informou que empregou diversas frentes de trabalho para obras de contenção de talude, ação que colabora na manutenção da segurança de motoristas e usuários da SP 098. O investimento, segundo o órgão, girou na casa dos R$ 13,4 milhões com as obras de construção dos muros de concreto e de reconstrução de gabião nos quilômetros 82,3; 83,17; 87,2; 87,9; 88,1; 88,6 e 89,05.

Também estão concluídos os serviços para recuperação estrutural da ponte sobre o Rio Sertãozinho, no Km 82,4, e o reforço das cortinas atirantadas, que também protegem o talude, no Km 87,4 e 87,8, bem como a recuperação do aterro no Km 61,3.

Há ainda obras para ampliação da rotatória no km 57, 6 da rodovia SP-098, em Mogi das Cruzes, com objetivo de proporcionar maior fluidez ao tráfego e segurança viária aos motoristas e usuários da rodovia, com investimento de R$ 3,5 milhões, além da construção de muro de contenção no km 86,6 e implantação de tela atenuadora no km 81,8, com investimento de R$ 1,7 milhão.

Além disso, o DER contratou em 2018, por meio de licitação internacional e com recursos do Banco Mundial, a Avaliação e Mapeamento de Riscos – frente aos riscos de eventos geodinâmicos na região da Serra do Mar. Os estudos de riscos de eventos geodinâmicos em andamento estão sob gestão técnica da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, por meio do Instituto geológico. Este informou que o primeiro relatório deve ser concluído ainda este ano


Deixe seu comentário