INFORMAÇÃO

Romildo é o novo chefe de Gabinete da Prefeitura

O ex-secretário de Estado da Cultura, Romildo de Pinho Campello (PV), é o novo chefe de Gabinete da Prefeitura de Mogi das Cruzes. O anúncio foi feito, no final da tarde de segunda-feira, aos demais integrantes do primeiro escalão da Prefeitura, durante a reunião semanal, pelo prefeito Marcus Melo (PSDB). A princípio, o cargo deveria ser ocupado pelo advogado Simei Baldani, do PR, cujo partido e não teria concordado com o fato dele ter sido indicado como cota do prefeito Marcus Melo e não da agremiação. Há quem, no entanto, aponte outras ingerências de cunho político partidário para “melar” o convite. Romildo irá substituir Marcos Regueiro, que vinha acumulando a chefia de Gabinete com a Secretaria de Gestão. Mas também irá acumular a nova função com a de Ouvidor do município, cargo para o qual foi indicado, no dia 11 passado. O ungido, no entanto, acredita que será mais fácil para ele administrar as duas funções de maneira cumulativa, já que os objetivos de ambas estão muito próximos, que é o de melhorar o atendimento ao público pelo governo municipal. Ao contrário de Regueiro, que teve de conviver por um longo tempo com a burocracia da Secretaria de Gestão e, ao mesmo tempo, cuidar do atendimento à comunidade, via Ouvidoria. Romildo, por sua vez, espera contar com uma série de mudanças tecnológicas que deverão tornar o trabalho da Ouvidoria bem mais prático e facilitado, já que passará a contar, em breve, com um aplicativo de celular que irá ajudar o atendimento ao público, assim como o andamento das reivindicações junto aos diversos setores da administração municipal. O chefe de Gabinete também pretende colocar em prática, na Prefeitura de Mogi, muito do que aprendeu durante os anos em que atuou junto à Prefeitura da Capital e ao Governo do Estado, em cargos de secretário titular ou adjunto. “O objetivo é ajudar ao máximo a gestão do prefeito Marcus Melo”, disse o entusiasmado Romildo a esta coluna.

Facesp

O deputado federal mogiano, Marco Aurélio Bertaiolli (PSD), assumiu, segunda-feira, o cargo de vice-diretor executivo da Fderação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), junto com a nova diretoria para o biênio 2019-2020, encabeçada pelo presidente Alfredo Cotait Neto. “Nosso trabalho na Facesp será trabalhar pelo fortalecimento e crescimento das pequenas e micro empresas, que passa por mudança na legislação, redução da carga tributária e fortalecimento da economia”, diz Bertaiolli, que integra a diretoria da entidade desde 1993.

Na mosca

Os argumentos usados pelo desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, para livrar o ex-presidente Michel Temer da cadeia foram basicamente os mesmos citados pelo desembargador mogiano, Marco Antonio Rodrigues Nahum, no artigo para o portal Poder 360, de Brasília. Nele, Nahum considerou “injusta e abstrata” a prisão preventiva de Temer pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

No PSL

O empenho do coronel PM aposentado, Silvio Arroyo, na montagem do futuro Diretório Municipal do PSL de Mogi das Cruzes é resultado de uma antiga amizade com o atual senador Major Olimpio, iniciada nos tempos de academia militar. Arroyo se formou em 1981 e Olimpio em 1982 e voltaram a se encontrar em 10 anos dos governos de Orestes Quércia (4), Fleury Filho (4) e José Serra (2), em que trabalharam juntos: Arroyo como responsável pelas Comunicações e Informações e Olimpio pela Segurança.

Polêmica

O governo de Jair Bolsonaro mostrou que quer tirar proveito do momento de comoção generalizada da sociedade para militarizar a Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano. O ministro trapalhão da Educação, Ricardo Vélez, tentou sensibilizar o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) sobre o tema, mas este passou a bola para João Doria (PSDB), já que se trata de um estabelecimento sob responsabilidade do Estado. Resta saber como agirá o governador. Se decidirá de pronto, ou ouvirá a população suzanense. Se optar pela segunda hipótese, a decisão pode ser influenciada pelos efeitos ainda latentes do atentado na memória dos suzanenses.

Olha aí, ô meu! Dignidade é feito virgindade: perdeu, tá perdida. Não dá segunda safra.

Millôr Fernandes (1923-2012), desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, poeta, tradutor e jornalista brasileiro, que morreu no dia 27 de março, há exatos sete anos, em Ipanema, no Rio