SEGURANÇA

Saiba onde o seu carro pode ser furtado em Mogi das Cruzes

RISCO Rua Álvaro Pavan, ao lado do Shopping, é um dos pontos mais visados pelos ladrões de veículos (Foto: Elton Ishikawa)

Conheça os pontos mais perigosos da cidade, onde o motorista corre risco de perder seu veículo

Mogi das Cruzes registrou um aumento no número de roubos e furtos de veículos de 13,7% no ano passado em comparação com 2018. O levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública em 2019 aponta 954 casos, contra os 839 que aconteceram no exercício anterior, uma diferença de 115 ocorrências a mais.

Do total de 954 ocorrências do ano passado, 686 são relativas furtos, uma média de 57 por mês. O restante, que são os 268 roubos de veículos ocorridos em 2019, representa 22 casos mensais.

Os problemas com furtos e roubos de veículos são registrados em vários pontos da cidade. No centro, os locais mais visados são as áreas do Largo Francisco Ribeiro Nogueira, Mogi Shopping, proximidades de escolas e condomínios residenciais. Existem ainda ocorrências na Vila Cléo, Vila Natal, Alto do Ipiranga, entre outros bairros e distritos da cidade.

Os furtos perto dos terminais Rodoviário e Estudantes, Estação Ferroviária, e universidades, também acontecem com uma certa frequência porque, além de alunos, muitos cidadãos que moram em locais mais afastados da cidade chegam cedo, deixam seus carros, pegam ônibus ou trem para trabalhar e só retornam a noite.

Nas proximidades do Mogi Shopping, especificamente na rua Álvaro Pavan, local usado por motoristas que não querem pagar as tarifas pelo estacionamento interno, a Polícia Militar registrou 9 furtos de veículos durante o ano de 2019, mesmo com a presença dos guardadores de veículos, os conhecidos “flanelinhas”.

RISCO Rua Álvaro Pavan, ao lado do Shopping, é um dos pontos mais visados pelos ladrões de veículos (Foto: Elton Ishikawa)

O comando do 17º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) informa que o trabalho realizado pela PM, de prevenção, repressão e garantia da ordem pública, “está sendo efetivo nessa área”, e alega que se observar aumento no número de casos ou qualquer alteração no cenário atual analisará a situação “para que possam ser adotadas ações estratégicas.”

Muitos desses locais são monitorados com as câmeras da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp), da Prefeitura de Mogi. O trabalho conta ainda com a colaboração da Guarda Municipal que, apesar de possuir a missão da preservação do patrimônio municipal, auxilia nesse tipo de fiscalização.

O comando do 17º BPM confirma que esse monitoramento já conseguiu impedir muitos furtos, e que no ano de 2019, até o mês de novembro, foram recuperados 312 veículos em Mogi. Esclarece ainda que realiza efetivamente, diversas operações, “ampliando a presença policial nas áreas críticas, que são apontadas por meio de ações de plano de inteligência da PM, elaborando o patrulhamento em uma área específica de acordo com o apontamento criminal”.

O presidente do Conselho de Segurança (Conseg) do Centro, Marcio Gavazzi destaca a colaboração da Guarda Municipal para tentar manter a situação sob controle em Mogi, uma cidade, que apesar de ter problemas, segundo ele, ainda é melhor avaliada do que muitas outras da região. Ele cita ainda a ajuda que vem sendo obtida com a atuação de grupos formados em alguns bairros, através programa “vizinhança solidária”. São pessoas que monitoram, conversam com moradores em redes sociais e repassam todas as informações à polícia.

Gavazzi acredita que a criminalidade, e os índices de furtos e roubos de carro poderiam ser reduzidos na cidade se o Estado aparelhasse melhor a PM, ampliando o efetivo, a frota e todo o aparato policial. “Essa é uma questão que o prefeito (Marcus Melo – PSDB) deve discutir com o governador (João Doria – PSDB)). Mogi cresceu e precisa adequar o número de policiais à realidade de um município com quase meio milhão de habitantes”, enfatiza.

Foto: Elton Ishikawa

Vítimas ficam indignadas com os prejuízos

Os furtos e roubos de veículos acontecem em vários pontos da cidade e provocam indignação nas pessoas que são vítimas dos ladrões, como no caso da autônoma Fernanda Yamasaki, que teve o seu carro furtado no último dia 13, na rua Lara, centro da cidade. Ela disse que estacionou perto das 20 horas e foi visitar os amigos que moram ali perto. Saiu no local às 22h15, quando verificou que o seu veículo -um Gol prata, placas EPP 2205 – tinha sido levado.

As câmeras de segurança de imóveis próximos mostram que o carro foi furtado por volta de 22 horas. Ela explica que conseguiu as imagens, mas alega que não foi possível identificar com detalhes o perfil do ladrão. Registou o Boletim de Ocorrência (BO) e encaminhou as imagens para a polícia.

Fernanda afirma que teve um grande prejuízo porque, além de não ter seguro, usava o carro para trabalhar. “A ficha demorou um pouco para cair, mas estou muito chateada com o que aconteceu. Acho que essa situação reflete o momento atual em que vive todo o País, com problema de falta de segurança, roubos e assaltos em todos os lugares”.comenta. As expectativas de encontrar o veículo são poucas, mas se alguém tiver qualquer notícia, ela pede para informar à polícia.

O motorista Bruno Matheus Oliveira Santos, de 20 anos, teve mais sorte. Conseguiu sair ileso de uma tentativa de roubo. O episódio aconteceu no último dia 22, na rua dos Vicentinos, Vila Natal. Ele relatou à polícia que estava chegando em casa por volta das 23h30 e quando se preparava para colocar o carro na garagem, foi abordado por três homens que anunciaram o assalto. Afirma que se assustou na hora e acelerou para sair do local. Um dos bandidos tentou atirar com um revólver calibre 32, mas a arma não disparou.

Nesse mesmo horário, dois policiais que faziam o patrulhamento nas proximidades foram informados sobre a ocorrência, cercaram a área e conseguiram encontrar dois dos três suspeitos – um de 18 e outro de 20 anos – escondidos em um matagal perto do local. A dupla, presa em flagrante, estava com a arma utilizada no crime e foram presos. O terceiro envolvido não foi localizado. (S.C.)


Deixe seu comentário