Santos quer enfrentar Barcelona na Vila

MATERIA
O Santos aguarda a resposta do Barcelona, da Espanha, para confirmar o amistoso entre os clubes no dia 26 de janeiro de 2017, aniversário da cidade praiana. O clube paulista está confiante que seu “alçapão” pode fazer a diferença contra Messi, Neymar, Suarez e companhia, e ajudar a equipe santista a vingar os 12 a 0 agregados nos dois últimos encontros (4 a 0 no Mundial de Clubes da Fifa, em 2011, e 8 a 0 em amistoso no Camp Nou, em 2013).
E o time alvinegro foi buscar na história uma motivação extra para acreditar que vale a pena mandar a partida em sua casa. Atuando na Vila Belmiro, até o Real Madrid, principal rival do clube catalão e que venceu o clássico espanhol no último final de semana, já foi derrotado pelo Santos.
Segundo o departamento de memória e estatística do clube paulista, o Real Madrid perdeu, por 2 a 0, do Santos, no dia 20 de junho de 1996. A partida marcou a despedida do meia Giovanni, que havia sido negociado com o Barcelona.
Os gols do Santos foram marcados por Camanducaia e Jamelli. O clube merengue tinha sul-americanos conhecidos pelos brasileiros como destaques – casos de Fernando Redondo, Rincón e Zamorano.
A Vila Belmiro, que assusta os adversários no Brasil, historicamente foi o diferencial do Santos contra os europeus. Em 1986, os santistas venceram o Grasshoppers, da Suiça, por 2 a 1, em Torneio de Verão. Na década de 1950 foram três vitórias: 4 a 0 no Portsmouth, da Inglaterra, em 1951; 6 a 3 no Sporting, de Portugal, em 1953; e 3 a 2 no Benfica, em 1957.
Entre as poucas derrotas para europeus na Vila estão o duelo contra a Lazio, da Itália, quando o Santos foi derrotado por 5 a 3, em 1995, e para a seleção da Romênia por 1 a 0, na despedida de Clodoaldo, em 1980.
Processo
O zagueiro Durval e o Santos estão em batalha judicial. Ontem, os dois lados compareceram em audiência na Vara do Trabalho, em Santos, para discutir os valores. A reportagem apurou que o campeão da Copa Libertadores de 2011 pelo clube cobra R$ 700 mil, enquanto os advogados santistas ofereceram um acordo de R$ 300 mil, que seriam pagos em dez parcelas. Durval acusa o Santos de não ter pago o seu último salário no clube, em novembro de 2013 e gratificações.


Deixe seu comentário