Saúde hospitalar

Os planos anunciados pela Samed Serviços de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica para abrir o Hospital Santa Maria, em Suzano, a partir de outubro, movimentam a rede particular e tendem a melhorar a rede privada nas cidades da Região do Alto Tietê. Suzano, prestes a    ultrapassar a faixa dos 300 mil habitantes, não dispõe de leitos particulares, o que obriga a parcela da população que possui plano de saúde a procurar pelos serviços de média e alta complexidade em outros municípios.
O grupo deverá investir R$ 12 milhões para reformar as instalações da antiga unidade II da Santa Casa, que também era particular. Para isso, quando estiver em funcionamento pleno, previsto para 2016, manterá um quadro de cerca de 500 funcionários e 110 leitos hospitalares, num projeto que começa a ser implantado por etapas, a partir de outubro.

Primeiro, serão feitos os serviços de reforma, instalação e as contratações. Esse item, aliás, cumpre um acordo que prevê a readmissão de cerca de 150 pessoas que atuavam no antigo hospital, desativado no início desse ano.

Além de implantar um hospital particular em Suzano, o grupo Samed está investindo R$ 4 milhões para ampliar a capacidade de 10 para 20 leitos a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santana, no Alto do Ipiranga.

Na contramão da grave crise econômica, os anúncios feitos pelo presidente da empresa, Mannie Liu, revelam a reação de investidores com tradição em investir em Mogi das Cruzes e no Alto Tietê, que não estão abaixando a cabeça para um quadro problemático que penaliza toda sociedade brasileira. Entre outros aspectos, a notícia é positiva porque reconhece o potencial de Suzano e Região, melhora as condições de atendimento a uma parte da população que paga o plano privado em busca de um tratamento diferenciado, com reflexos, inclusive, no Hospital Santana e nas demais dependências de Mogi das Cruzes, e ainda movimenta o mercado de trabalho regional. Numa fase marcada pela redução de vagas em todos os setores da economia, a criação de 500 empregos, e outras oportunidades de negócios e trabalho indiretas, é um fato importante.

A chegada em Suzano confirma a tradição construída ao longo dos últimos 40 anos pela Samed, hoje responsável por 72 mil pessoas seguradas, a maioria proveniente de contratos com empresas. E reforça a série dos últimos investimentos feitos em recursos humanos e materiais, com a aquisição de equipamentos de alta tecnologia e a implantação de procedimentos modernos que visam a modernização deste complexo hospitalar regional.


Deixe seu comentário