AÇÃO

Seccional vai instalar Delegacia de Defesa da Mulher em Itaquaquecetuba

Seccional Jair Ortiz divulgou que está obtendo o recurso para abrir a unidade. (Foto: Laércio Ribeiro)
Seccional Jair Ortiz divulgou que está obtendo o recurso para abrir a unidade. (Foto: Laércio Ribeiro)

O delegado seccional Jair Barbosa Ortiz anunciou, na tarde de ontem, a O Diário a implantação de uma Delegacia de Defesa da Mulher ainda neste ano em Itaquaquecetuba, a qual vai atuar nos moldes da DDM de Mogi das Cruzes e Suzano. Segundo ele, a unidade já começa marcar a sua administração. A DDM de Itaquá vai ser instalada no antigo prédio da antiga Delegacia Central, na Rua José Barbosa de Araújo, no Centro, ao lado da Câmara Municipal.

De acordo com a autoridade, o apoio para a concretização do projeto é do prefeito Mamoru Nakashima, do PSDB, e da primeira-dama Joerly Nakashima, também secretária Municipal de Política para Mulheres. O decreto foi assinado pelo governador Márcio França e publicado no Diário Oficial no último dia 6.

“Estive em São Paulo e fiz gestão com meus superiores em São Paulo, além de manter contatos com o prefeito, a esposa dele e diversas lideranças da cidade”, afirmou Jair Ortiz. Ele entende que “a Delegacia de Defesa da Mulher de Itaquá é uma prioridade considerando os inúmeros crimes cometidos contra as mulheres no município. A demanda de trabalho em Mogi e Suzano já é excessiva, portanto, nada mais justo de instalarmos essa unidade”.

Ainda conforme, o seccional, “as mulheres são alvos de agressões físicas, mas a DDM não vai cuidar somente disso, pois também de constrangimentos, ofensas e de crimes sexuais. Haverá uma delegada de polícia que inicialmente atuará em duas unidades, mas com o tempo se tornará efetiva. Ela e a sua equipe (formada por escrivães e investigadores) prestarão atendimento às mulheres, porém o público feminino deverá contar com assistência de uma psicóloga e assistente social”.

Em reunião com o prefeito Mamoru, o delegado seccional Jair Ortiz recebeu a promessa dele que a DDM será dotada de infraestruturas necessárias para o seu funcionamento. “Há anos que tenho trabalhado para reduzir os índices de ataques contra as mulheres, pois isso é injusto, na verdade uma covardia”.

Ele ainda faz uma apelo às mulheres vítimas de todos os tipos de crimes e não somente relacionado à Lei Maria da Penha. “É preciso que denuncie os autores, não podem ficar caladas. As mulheres podem procurar a delegacia mais próxima ou até mesmo uma das Delegacias de Defesa da Mulher”.

Garra
A meta do seccional Jair Ortiz é dar ao Garra maior mobilidade em Mogi e nas cidades da Região do Alto Tietê, como ele destacou, na tarde de ontem, ao jornal. Sem efetivo, ele explicou que já removeu três policiais de outras unidades. Em breve, pretende conseguir a vinda de mais escrivães e investigadores para a Seccional de Mogi das Cruzes. Vale ressaltar que o Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) já foi considerada uma equipe de elite.