ATENTADO EM SUZANO

Secretário de Educação diz que é preciso respeitar o tempo de alunos e funcionários

o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares da Silva. acompanhou o velório das vitimas do ataque e falou nesta sexta-feira sobre retomada de aulas
O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares da Silva, acompanhou o velório das vitimas do ataque e falou nesta sexta-feira sobre retomada de aulas. (Foto: Natan Lira)

Durante uma reunião nesta sexta-feira (15), o secretário de Estado da Educação, Rossieli Soares da Silva, falou sobre os próximos passos para retomar as aulas na Escola Estadual Raul Brasil. A pasta comunicou que irá respeitar o tempo de luto de cada um, funcionários ou alunos. O secretário estadual de Justiça e diversos especialistas em psicologia também participaram do evento.

“Precisamos respeitar o espaço, o tempo de cada um, funcionários, alunos, família, no seu processo de luto na sua forma de condução. Como dar apoio, em que momento vai ser mais apropriado? O tempo vai dizer” ressaltou Rossieli.

Em uma entrevista no dia anterior, o titular da pasta ressaltou que a situação que aconteceu não é fácil de ser prevista, porque muitas vezes até os próprios pais não percebem que os filhos estão com algum problema. Por isso o Estado deverá investir não apenas no professor, mas também nos profissionais de escolas no geral, para ajudar a identificar os alunos que precisam de ajuda. “Estamos revisando os nossos procedimentos, acesso de entrada nas escolas, câmeras e a própria segurança, nos dedicamos da melhor forma, ouvindo a Secretaria de Segurança, os especialistas na área para ver como será montado o nosso plano”, destacou.

Já sobre a volta às aulas, as demais escolas estaduais da cidade terão reunião entre os professores a fim de discutir o acolhimento aos alunos. “A Raul Brasil ficará sem aula na semana que vem. A escola será aberta para professores, funcionários, alunos que quiserem ir lá viver o luto deles. Hoje à tarde, a Secretaria irá se reunir para tratar do retorno das aulas, o que vai precisar de um apoio maior”, destacou.

O prefeito de Suzano Rodrigo Ashiuchi (PR) conversou com o ministro da Educação, Ricardo Vélez, que fez uma rápida passagem nos velórios e foi embora sem falar com a imprensa. Segundo Ashiuchi, o projeto dele para a cidade é parecido com os governos estadual e federal, para manter nas escolas policiais da reserva na parte administrativa. “Existe ainda a atividade delegada, que são policiais que trabalham durante a folga e poderão reforçar o policiamento nas escolas, mas isso depende de alguma parceria, que a gente vai buscar. A escola terá um núcleo dos governos para debater o que será feito por lá. Vamos trabalhar em conjunto”, destacou.