COVID-19

Secretário de Saúde de Mogi assegura que demora na liberação de resultado não atrapalha ações da pasta

ESPERA Testes dos mogianos são enviados ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. (Foto: divulgação)

Mogi das Cruzes recebeu até o momento apenas 17 dos resultados dos exames enviados ao Instituto Adolfo Lutz, na Capital, para os casos suspeitos do novo coronavírus. São 84 notificações até agora. A demora gera preocupação à população. Mas não ter o número exato de pessoas que estão com Covid-19 na cidade, segundo o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, não atrapalha o trabalho da pasta. Ele garante que todas as medidas estão sendo adotadas de acordo com a situação local, sobretudo de assistência a esses pacientes, seja com internação ou acompanhamento em isolamento domiciliar.

“Independentemente dessa demora no resultado, teremos a partir de amanhã (terça-feira), a quarentena para toda a cidade. E estamos notificando todos os casos, aqueles em que foram colhidos ou não o teste. Desde que foi decretada a pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), estamos antecipando todas as medidas que estão ao nosso alcance”, destacou.

Ainda em relação ao teste, o secretário disse que o Governo Federal fala em novos 10 milhões deles para acompanhar a situação de infectados no país, mas Naufel alerta que ainda faltam outros 190 milhões. Ou seja, nem toda a população terá como ser testada.

“O que tenho de positivo até o momento são quatro casos. Isso é o real, não estamos escondendo nada. As pessoas estão se conscientizando, o número de ligações aumentou em quase 10 vezes no telefone que disponibilizamos para tirar dúvidas sobre o novo coronavírus, mas os profissionais já foram treinados e estão se habituando e isso facilita tanto para o paciente quanto para o nosso sistema de saúde”, pontua o secretário.

Na semana passada, a Prefeitura decretou novas medidas para realização de velórios na cidade, como o período máximo de quatro horas, até 10 pessoas por vez na sala, bem como em caso de confirmação ou suspeita da morte por Covid-19, que o caixão seja lacrado. O secretário diz que os hospitais da cidade já foram orientados em relação ao protocolo em caso de paciente em decorrência do contágio pelo novo coronavírus. No entanto, ele não quis divulgar as recomendações à imprensa.

De acordo com o chefe de gabinete do prefeito Marcus Melo (PSDB), Romildo Campello, a cidade estuda transformar algum equipamento municipal em local para continuar o tratamento dos pacientes que receberam alta da UTI, mas ainda precisam de cuidados de enfermaria. “Os respiradores que alugamos são para ampliar o atendimento no Hospital Municipal. Não há planos de levar esses leitos até outros locais como tem feito a Capital”, detalhou Campello.


Deixe seu comentário