CARTAS

Sem o Sesc. Até quando?

Inexplicável, pelo menos na minha opinião, a demora em torno de uma solução para o processo envolvendo a utilização de um terreno do bairro do Socorro para a instalação de um centro esportivo e cultural do Serviço Social do Comércio (Sesc). Há muito que um certo desavisado da cidade recorreu à Justiça contra a utilização pelo Sesc do espaço hoje ocupado por um centro esportivo sub-utilizado e quase caindo aos pedaços. Na mesma denúncia incluiu o Casarão do Chá, que vinha sendo muito bem administrado pela família Nakatani, principal responsável pela sua recuperação.

O caso do Casarão foi resolvido e se restabeleceu o comando do imóvel nas mãos de quem dele cuidava. E muito bem.

Já o caso do Sesc continua encruado, sabe-se lá por quais motivos. Falta explicação se a demora é mesmo da Justiça ou se não está havendo o devido suporte jurídico por parte dos advogados municipais, a quem coube a defesa da medida tomada pelo prefeito de Mogi.

Não é justo que a cidade continue na espera de um polo tão importante de cultura e lazer, quando outros municípios vizinhos, como Guarulhos, por exemplo, já passaram a dispor de tal benefício.

Até quando vai durar o silêncio das autoridades acerca desse assunto e até quando Mogi vai ficar para trás nesta questão?

Caroline Carvalho de Moraes

Mogi das Cruzes, Centro