SHOW

Serginho Machado estreia ‘Trinca de Ases’

ESPECIAL Enquanto Serginho é responsável pelo violão e voz, Camila Valiengo é quem dá o ritmo do concerto, que terá 25 músicas conhecidas do público. (Foto: divulgação)

O cantor e compositor mogiano Serginho Machado estreia amanhã, na cidade, o ‘Trinca de Ases’. Trata-se de um show cover em homenagem a Caetano Veloso, Chico Buarque e Belchior (1946-2017), com quem teve oportunidade de conviver e ‘trabalhar’.

Ao todo, o concerto terá 25 canções extraídas do repertório dos homenageados. De Chico Buarque, clássicos como ‘Roda Viva’, ‘O Cio da Terra’ e ‘Mulheres de Atenas’; de Belchior, entre outros hits, ‘Paralelas’, ‘A Palo Seco’ e ‘Como Nossos Pais’; e de Caetano Veloso, os sucessos ‘Sampa’, ‘Você é Linda’, ‘Reconvexo’ e mais.

“Eles são uma das ‘trincas de ases’ da música brasileira. Há muitos outros, mas os escolhi por ser apaixonado pelo trabalho deles, em especial do Belchior, de quem fui amigo de frequentar a casa”, explica Serginho. Existem, como prova desta relação, dois discos produzidos pelo cearense e lançados pelo mogiano: ‘Serginho Machado’, de 1986, com apenas duas canções, e ‘Sobrenome’, de 2000, com treze.

Tudo começou quando Serginho, ainda estudante de Publicidade e Propaganda pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), foi fazer um estágio na capital. O estúdio em que “aterrissou” era um dos quais Belchior utilizava nos anos 1980. Compositor por hobby, o mogiano apresentou uma fita para tentar ingressar no meio artístico mas foi recusado, pois cantava MPB e a música da moda era o emergente sertanejo.

Foi instruído a levar o material à outra gravadora, que também não enxergou mercado para aquele tipo de som. No entanto, como o dono do segundo empreendimento era compadre de Belchior, fez o favor de passar o telefone do músico ao então estagiário de publicidade.

Quase quatro décadas depois, Serginho ainda se lembra deste momento: “Comprei algumas fichas num bar e liguei do primeiro orelhão que encontrei, imaginando que fosse um escritório. Mas era o número do apartamento de Belchior, e foi o próprio quem atendeu”.

A partir daí eles trocaram figurinhas e acertaram uma parceria musical e também de amizade. E é este clima intimista e de nostalgia que o show ‘Trinca de Ases’ quer proporcionar. Serginho fica responsável pelo violão e voz, mas quem dá o tom é Camila Valiengo, com pandeiro, percussão, flauta transversal e voz.

Haverá ainda um dueto com Bia Mello, na interpretação de “duas ou três” canções do quarto CD de Serginho, ‘Um Cancioneiro Degustador De Palavras’, lançado em janeiro último. A estreia do show está marcada para as 19 horas no número 949 da Avenida Braz de Pina, no Alto Ipiranga.