PANDEMIA

Serviços de entrega ganham maior espaço durante a quarentena

EM CASA Motoqueiros e funcionários dos Correios cumprem a missão de fazer as entregas em domicílios. (Foto: Elton Ishikawa)
EM CASA Motoqueiros e funcionários dos Correios cumprem a missão de fazer as entregas em domicílios. (Foto: Elton Ishikawa)

Escolas fechadas, assim como todos os serviços não considerados essenciais e a recomendação de isolamento social. Medidas que visam restringir a propagação do novo coronavírus deixam, cada vez mais em evidência, a importância de determinadas áreas. É o caso dos serviços de entrega de comidas, medicamentos e outros produtos e dos Correios. Os funcionários dessas empresas têm se desdobrado nos últimos dias para atender à população.

Um dos principais nomes entre os serviços de entrega, o iFood não divulgou se o número de pedidos aumentou em Mogi das Cruzes nos últimos dias. Entretanto, a empresa divulgou uma série de medidas para esse período. Ao abrir o próprio aplicativo, os usuários encontram um espaço dedicado às iniciativas de prevenção à doença.

Além disso, a plataforma criou um fundo solidário no valor de R$ 1 milhão para dar suporte aos entregadores que necessitem permanecer em quarentena. Ele receberá do fundo solidário um valor baseado na média dos seus repasses nos últimos 30 dias, proporcional aos 14 dias de quarentena.

Já os clientes agora podem optar por receber uma “Entrega sem Contato”. Com essa solução, o entregador será avisado quando chegar no local de entrega e, junto ao complemento do endereço, verá todos os direcionamentos necessários para concluir a entrega sem contato físico com o cliente final. O chat entre entregadores e consumidores, já disponível anteriormente, pode ser utilizado ainda como ferramenta para combinar detalhes das entregas, passando a permitir o envio de fotos para facilitar a comunicação.

“A empresa entende que ainda é prematuro para dimensionar o impacto do Covid-19 no mercado de food delivery brasileiro. O iFood possui flexibilidade para ajustar rapidamente suas operações de acordo com as necessidades do mercado, e está em constante contato com as autoridades, inclusive sobre este tema”, ressaltou por meio de nota.

Com as lojas fechadas, as vendas online deverão se estender para os mais diversos setores e os Correios deverão ser o principal meio de entrega desses produtos. Sendo assim, a empresa também continua em pleno funcionamento, mas adotou medidas preventivas.

Como exemplo disso, foi suspensa, temporariamente, a assinatura do destinatário na entrega de objetos postais e está reforçando a importância dos empregados seguirem as orientações de prevenção, bem como de agirem com o respeito, a cautela e a empatia que a situação exige, tanto no ambiente de trabalho quanto no relacionamento com os clientes.

A empresa passou ainda a realizar a entrega e a coleta de malotes, simultaneamente, em única visita diária, para melhor aproveitamento da força de trabalho disponível na distribuição e diminuição da frequência de contato com os clientes.

Os Correios garantem ainda que houve orientação a todos os empregados quanto aos cuidados básicos de higiene, conforme recomendado pelo Ministério da Saúde e disponibilização de álcool gel 70% em locais próximos às estações de trabalho. Todas as medidas podem ser conferidas em saladeimprensa.correios.com.br.


Deixe seu comentário