Sinal analógico da TV será desligado em 29 de março na Região

Diretor-geral da Seja Digita se reuniu com o prefeito Marcus Melo. (Foto: Guilherme Berti/PMMC)
Diretor-geral da Seja Digita se reuniu com o prefeito Marcus Melo. (Foto: Guilherme Berti/PMMC)

LUCAS MELONI
Em 29 de março, o sinal analógico de televisão será desligado na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e quem não tiver o kit com o adaptador a ser instalado nos televisores vai ficar sem ver TV. Famílias que recebem benefícios de programas de distribuição de renda do Governo Federal têm direito ao aparelho de forma gratuita. A medida, claro, vale também para Mogi das Cruzes onde, de acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social, existem 40 mil famílias que contam com apoio da União. Estimativa da Seja Digital, a organização que faz a distribuição gratuita dos kits às populações de baixa renda, aponta que cerca de 24 mil deles já foram entregues na Cidade. A meta é que os outros 16 mil sejam repassados até 45 dias após o prazo de transmissão analógica do sinal. Equipamentos públicos como escolas, postos de saúde e hospitais terão os aparelhos doados nas próximas semanas.

Os pontos do trabalho de distribuição foram apresentados ontem pelo diretor-geral da Seja Digital, empresa criada a partir de determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para tratar da gestão e repasse dos adaptadores, Antonio Carlos Martelletto, em visita ao prefeito Marcus Melo (PSDB), na sede da Prefeitura, no Centro Cívico.

“Já houve a distribuição de 60% dos kits (no universo de 40 mil famílias beneficiadas), agora a nossa meta é distribuir o restante nas próximas semanas. A data importante e que merece ser ressaltada é o dia 29 de março, em que será desligado o sinal analógico. A Seja ainda fará a distribuição por 45 dias posteriores, porém, é melhor que as pessoas agilizem a busca pelo conversor”, disse à imprensa.

Há alguns dias, operadoras de telefonia e emissoras de TV pressionam o Governo Federal para adiar este corte para maio porque, para que o desligamento seja permitido, é necessário que o universo de sinal digital atinja os 93% (com 3% de margem de erro aceitáveis). Neste momento, a marca chega a 86% em toda a Grande São Paulo. Para tentar estimular o aceleramento, a entidade decidiu intensificar o processo em Mogi e outras cidades.

Calcula-se, em cima de levantamento de dezembro passado feito pela Secretaria de Desenvolvimento, que as 40 mil famílias beneficiadas por programas assistenciais com renda de até três salários mínimos (totalizando R$ 2.811,00) que têm direito ao kit gratuito somem cerca de 100 mil pessoas.

Para as famílias que se enquadram neste primeiro filtro, é preciso ligar para o telefone 147 e agendar a retirada do kit. A entrega é feita, por enquanto, apenas na agência central dos Correios, na esquina das ruas Dr. Ricardo Vilela e Presidente Rodrigues Alves (é nesta rua, numa porta lateral ao Banco do Brasil, onde é feito o atendimento ao público que busca do kit). A empresa pede que seja feito o agendamento para evitar filas e esperas desnecessárias. Às vezes, a depender da semana, é possível retirar o equipamento no mesmo dia.

Televisores de tubo (aqueles grandes, com caixas atrás da tela) e mais novos sem a tecnologia digital precisarão do adaptador, um aparelho que, se comprado em lojas, chega a custar R$ 200,00.

Durante o encontro, os representantes anunciaram que espaços públicos como escolas, creches, postos de saúde e hospitais, por exemplo, terão acesso a kits a serem repassados em breve pela Seja Digital. Melo disse que isso será tratado na próxima segunda-feira numa reunião com seu secretariado, de forma a estabelecer um levantamento de quantos equipamentos necessitam deste kit, além de fechar um cronograma que defina até quando isso possa acontecer.

“A mudança para o sinal digital representa uma melhora na qualidade. A Prefeitura tem equipamentos próprios que demandam a instalação de adaptadores. A adequação, por parte da Prefeitura, também precisa ser feita para receber o sinal digital. A gente vai discutir com os secretários e definir um cronograma”, afirmou o prefeito.

A previsão é de que até 2018 cerca de 1,3 mil municípios terão o sinal analógico desligado.

Monitoramento
A gestora do serviço de distribuição de kits de adaptadores de TV digital monitora possíveis casos de fraude no repasse dos aparelhos no Estado. Antonio Carlos Martelletto, diretor-geral da Seja Digital, afirma que não há registros do tipo, mas acompanhou pela imprensa alguns anúncios na internet de beneficiários de programas do Governo Federal que receberam o aparelho e queriam vendê-lo. “Não há registros, porém, acompanhei pela internet que diziam sobre pessoas que teriam anunciado o kit. É importante dizer que, uma vez recebido, nenhum outro kit será dado àquela família”, respondeu a O Diário. O kit é composto por uma antena, um adaptador e um controle remoto.


Deixe seu comentário