CRIMINALIDADE

Suspeito de tráfico é preso com oito quilos de drogas em Mogi

Suspeito diz que cria dois filhos e só guardava maconha, cocaína e crack. (Foto: Laércio Ribeiro)
Suspeito diz que cria dois filhos e só guardava maconha, cocaína e crack. (Foto: Laércio Ribeiro)

De nada adiantou o traficante identificado como Marcelo Aparecido de Oliveira, de 28 anos, morador no Jardim Nova União, tentar despistar a Polícia Militar, ontem, por volta das 6h30, na Avenida Desembargador Francisco Ferreira, na Vila Oliveira, jogando na calçada “um kit de drogas”. Ele foi preso e confessou que tinha mais entorpecentes na sua casa, nas proximidades. No local, foram apreendidos no quarto dele uma sacola contendo cerca de 8 quilos de drogas.

Os 8 ‘tijolos’ de maconha prensada, já preparados para o comércio ilegal, mais tubos de maconha, crack e cocaína, perfizeram quase 8 quilos de entorpecentes, conforme pesagem realizada pelo investigador Mathias Silva, do Distrito Central, e exigida por lei. As embalagens da maconha chamaram a tenção dos policiais porque tinham adesivo com a figura do desenho animado ‘Popeye’, o que indica a procedência das drogas e poderá ajudar a Polícia nas futuras investigações.

A equipe da Polícia Militar apresentou o suspeito Marcelo Aparecido ao delegado Carlos Eduardo Chrispin, que analisou a ocorrência e decidiu autuar Marcelo por tráfico. A autoridade e o escrivão Mauro Kato elaboraram o auto de prisão em flagrante. Os R$ 143,00 encontrados com o criminoso ficaram retidos e servirão como prova, pois Marcelo obteve o dinheiro com a venda de drogas., conforme os policiais.

No final dos autos, Marcelo foi removido à Cadeia de Mogi, de onde sairá na manhã de hoje para participar da audiência de custódia. Dependendo da decisão Justiça, ele poderá responder pelo crime de tráfico em liberdade, ou então, terá a prisão preventiva decretada e vai ser transferido para o Centro de Detenção Provisória, no Bairro do Taboão.

Ao tentar se justificar sobre o tráfico, Marcelo de Oliveira afirmou que é usuário de crack e está desempregado, sendo que cria sozinho dois filhos menores. “Eu peguei 10 tabletes de maconha nesta segunda-feira de um indivíduo que conheço apenas por ‘MC’, era para mim somente guardar as drogas”, ressaltou no seu interrogatório ao delegado Carlos Eduardo. A Polícia esclareceu que Marcelo anteriormente havia se envolvido num crime de ameaça.