DECISÃO

TJ acata defesa e coloca policial em liberdade

O policial civil Antônio Carlos Alves de Mello, o “Toninho”, do Distrito Central, foi colocado em liberdade no fim da tarde desta sexta-feira. Ele estava preso desde 19 de julho último devido a Operação do Gaeco, do Ministério Público, voltada à captura de supostos envolvidos em organização criminosa, exploração de jogo de azar (jogo do bichoe e máquinas de caça-níqueis), além de usura e lavagem de dinheiro. O advogado de “Toninho” obteve o alvará de soltura após o advogado dele Rafael Yamashita impetrar recurso junto ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo denominado ‘pedido de extensão’, considerando que o advogado Dirceu Augusto da Câmara Valle havia conseguido medida semelhante em benefício do seu cliente, o empresário e ex-policial militar Marciano Assis Cabral, o “Cabral”, proprietário de um autoposto na Rua Ipiranga.

Os defensores argumentaram falta de fundamentação nas denúncias do Ministério Público, mas acatadas pelo juízo de 1ª Instância, no Fórum de Mogi. Anteriormente, Dirceu Câmara já havia ‘derrubado’ os primeiros mandados de prisão preventiva no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, favorecendo “Cabral” e “Toninho”, conforme entendeu o ministro Rogério Schietti Machado Cruz.

As decisões iniciais foram ‘reformadas’ e por enquanto três dois 15 presos estão livres. Há quem afirme que o resultado favorecerá os outros ‘réus’, entre os quais mais três policiais, da Delegacia do Meio Ambiente – Caio Romão, Paulo Carvalho e Alex Smokou. No meio policial, a liberdade de ‘Toninho” teve boa repercussão por ele desenvolver há 30 anos o combate à criminalidade em Mogi e Região do Alto Tietê.

Quanto ao empresário Cabral uma das denúncias que pesa contra ele ocorreu após a escolha da viatura da Polícia Civil, pilotada por Caio Romão, justamente no momento e que o prefeito Marcus Melo havia decretado ‘estado de emergência’, requisitando escolta aos caminhões de transporte de combustível para os postos de Mogi em decorrência da greve dos caminhoneiros em maio.