EDITORIAL

Tote Da San Biagio

“Mudamos conceitos, jamais abdicamos de princípios”

(Foto: arquivo)

Faltou pouco para completar 58 anos, uma faina iniciada em 13 de dezembro de 1957. Bons anos antes disso, Tote Da San Biagio já vivia o ofício de jornalista no único diário então existente na cidade, a Folha de Mogi.

Foi por não concordar com a nova linha editorial imprimida ao veículo que ele, e a eterna companheira Neid Brandão Da San Biagio, demitiram-se do emprego e deram início ao trabalho de fundar, consolidar e fazer crescer este O Diário.

O jornalismo que se coloca em xeque nestes tempos de internet, dominados por redes sociais e fake news, é muito diferente daquele praticado nos primeiros anos deste jornal. Por aqui, o que valia era o interesse coletivo, a cidade e sua gente sempre estiveram – e continuam – na linha prioritária de todas nossas ações. Mudamos conceitos, jamais abdicamos de princípios.

Houve campanhas memoráveis: já em sua edição inicial, o jornal defendia a eletrificação da linha férrea entre São Paulo e Mogi. Poucos anos depois, veio a batalha, hercúlea, de evitar a pretendida emancipação do distrito de Braz Cubas. Em várias ocasiões, o jornal esteve à frente de reivindicações populares, como no caso da substituição, por veículos leves, das linhas da CPTM.

Nem sempre O Diário acertou. Mas, seus leitores testemunham, eventuais erros de avaliação nunca foram praticados com o dolo do interesse próprio. Só constatações como essa podem justificar a persistência com que caminhamos, há quase 62 anos, na missão de perenizar o legado de Tote Da San Biagio, nosso fundador e diretor que nos deixou em 14 de outubro de 2015. Completam-se quatro anos amanhã.

Dele recebemos as lições de que “o jornalista não é protagonista, tampouco dono da notícia, esta pertence à sociedade que a gera”. Também – “o jornal é como um filho, ao qual a gente dá a vida sem ser dono de sua vida”.

Deixe seu comentário