ARTE

TV Diário recebe obra de Mauricio Chaer que homenageia Mogi das Cruzes

SÍMBOLO Tulio Da San Biagio recebe obra de Mauricio Chaer, que faz homenagem aos mogianos. (Foto Elton Ishikawa)

As “cruzes” de Mogi ganharam cor e forma em uma peça confeccionada por Mauricio Chaer. Na manhã de ontem, a obra, que leva o nome da cidade, foi inaugurada na área externa da TV Diário. A ideia do artista é fazer uma homenagem e presentear não somente a sede da emissora, mas todos os mogianos e moradores do Alto Tietê.

“O que eu espero é passar um bom astral para quem estiver vendo a obra. A gente até cogitou colocá-la na entrada aqui do prédio da TV Diário, mas poucas pessoas conseguiriam enxergar. Neste lugar em que foi instalada, até quem passa na rua pode ver e muitas vezes essa área também aparece durante entrevistas dos jornais, por exemplo. A intenção é alcançar o maior número de pessoas”, disse o artista mogiano.

Para confeccionar a peça Chaer precisou de cerca de um mês. O primeiro objetivo sempre foi fazer a homenagem à cidade, por isso logo pensou em simbolizar as cruzes. Depois disso, começou a concretizar as ideias, fazendo um desenho do que queria desenvolver. Com o projeto em mãos, começou a desenvolver a obra que é feita de concreto e pastilhas coloridas, como outras instaladas em vários pontos de Mogi.

“Foi um prazer receber essa obra de presente do Mauricio Chaer, porque a valorização da cultura e dos artistas de toda a Região do Alto Tietê é uma das missões da TV Diário. Então, é com muita alegria que a gente recebe essa escultura que veio valorizar ainda mais esse espaço que nós temos aqui”, ressaltou diretor-superintendente da emissora, Túlio Da San Biagio

Aos 62 anos, Chaer já tem 42 de carreira. Muito do que foi produzido por ele está na cidade. Ele diz que já chegou a fazer uma lista onde contou 30 obras públicas de sua autoria. Mas o artista prefere produzir a fazer essa contagem e diz que, por isso, o tempo para fazer uma catalogação é curto. Além de Mogi, ele tem obras em outras cidades do mundo, como em Madri, na Espanha, e Lisboa, em Portugal.

“Chega um momento em que essa homenagem para a cidade que foi essencial para que eu pudesse mostrar minha arte se faz necessária, porque é aqui que venho construindo minha carreira. Essa que fiz agora já tem a ver com a minha obra, porque eu não gosto de ser muito direto, de subestimar o público. Eu sempre fujo do óbvio, o óbvio não me interessa”, ressaltou.

Futuramente, Chaer pensa em homenagear um dos grandes artistas da cidade, José Benedito da Cruz, que ganhou fama e importância pouco depois dos anos de 1900. A ideia é fazer a releitura de uma das obras do século XX, trazendo-a para os dias atuais e mostrando quem foi J.B.C, como ele era conhecido.


Deixe seu comentário