INFORMAÇÃO

Um concurso para envolver a juventude com a política

TSE quer saber o que o jovem faria para solucionar problemas de sua cidade

Apostando na renovação da classe política que, na opinião do presidente Luís Roberto Barroso, os jovens e as mulheres podem promover, o Tribunal Superior Eleitoral está lançando uma campanha digital, para todo o País, com foco nas eleições municipais deste ano, denominada “Eu na Prefeitura, Eu na Câmara”. A iniciativa parte do princípio, segundo o qual, a participação dos jovens na vida pública é um dos fatores que contribuem para fortalecer a democracia e aumentar a riqueza das discussões políticas de cada cidade, além de alertar eleitores sobre importância do voto consciente. Com a aproximação das eleições e o aparecimento de muitas ideias e propostas, especialmente dos mais jovens, aqueles com idade entre 16 e 25 anos poderão participar da campanha gravando um vídeo, com o celular na posição horizontal, de no máximo 30 segundos, respondendo às seguintes perguntas: “O que não funciona na sua cidade?” e “o que você faria, se fosse eleito vereador (a) ou prefeito (a) para mudar isso? O vídeo deve ser encaminhado para o seguinte endereço: tse.jus.br/eu-na-prefeitura-eu-na-camara, até o próximo dia 3 de julho. Atualmente, o País conta com 1.310.194 jovens eleitores com voto facultativo (16 e 17 anos). Ao defender a renovação da classe política por meio de jovens e mulheres, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso lembrou que em sua trajetória como professor de Direito, viu poucos alunos com o ideal de mudar o mundo a partir da política. “Nós precisamos deles para fazer isso acontecer”, afirmou o ministro, ao explicar, durante sua posse no TSE, que esses são grandes objetivos de sua gestão.

Disputa à vista

Por diferença de um só ponto para a segunda colocada, a organização social Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS) venceu o chamamento público para escolha da futura gestora da Unidade de Pronto-Atendimento Dra. Corasi Alves de Andrade, a UPA-2, do Oropó. A INTS alcançou 82 pontos contra 81 da segunda colocada, a Sociedade Beneficente Caminho de Damasco (SBCD). O prazo para impugnação, que provavelmente ocorrerá, é de cinco dias, a contar de 22 passado.

Missão possível

À organização social vencedora, não importa qual seja, caberá recuperar o certificado de qualidade ONA 2. A UPA do Oropó foi a segunda do País a conquistar o selo que a INTS não conseguiu renovar, durante o atual período de gestão emergencial à frente daquele setor. Nas redes sociais e do Sindicato dos Enfermeiros também pipocam denúncias sobre redução de salários de funcionários que eles esperam ver recuperados a partir do momento em que a futura gestora vier a ser efetivada.

Pico do Urubu

O advogado Sylvio da Silva Pires reclama da falta de atenção em relação a uma proposta de sua autoria, feita por meio deste jornal, antes da inauguração do Mirante do Pico do Urubu. “Parece que nem se lembraram do que era necessário: prestar uma homenagem à família Francisco Giuliani, cujos herdeiros, gratuitamente, cederam à Prefeitura os 11 mil m² dentro dos quais está o Mirante, doação essa que se concretizou graças unicamente ao meu pedido, quando tentava realizar o sonho da Grande Cruz, assunto bastante focalizado pelo Diário, na época, cujo projeto completo se encontra na Prefeitura. Imaginei até que viesse a receber um convite para essa inauguração.Mas, parece que tudo ficou no esquecimento”.

Medicina de joelhos

O médico e cirurgião mogiano, Marcos Nali, da Clínica Imot, foi um dos três debatedores do tema “Dor após artroplastia total do joelho”, durante reunião científica, na Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho, realizada na noite de ontem, via internet. O debate apresentado e coordenado pelos médicos Wilson Mello e Ricardo Gobbi, teve a participação ainda de Alexandre Pacheco (Hospital dos Fornecedores de Cana de Piracicaba) e Antonio Alberto Affonso Filho (Medvale de São José). O professor da Unicamp, Gustavo Constantino de Campos, ministrou aula no evento.

Frase

O fato de muitos políticos serem mentirosos não é exclusivamente reflexo da classe política. É também um reflexo do eleitorado. Quando as pessoas pedem o impossível, só os mentirosos podem satisfazê-las.

Thomas Sowell, 89 anos, economista norte-americano, crítico social, filósofo e político


Deixe seu comentário