Um drama no INSS

Aposentado por idade em novembro de 2013, somente em junho de 2016 descobri que no cálculo de minha aposentadoria não haviam sido desconsiderados os 20% menores salários para apuração do valor do benefício. Com isso estava recebendo à menor, em torno de R$ 400,00 todo mês. Resolvi, de imediato, dar entrada em um pedido de revisão, o qual foi efetivada seis meses depois, em janeiro deste ano. A revisão veio com o mesmo erro, então resolvi recorrer. E aí começou o meu “calvário”. Compareci à agência do INSS em Mogi das Cruzes e, atendido por uma funcionária, recebi dela o formulário para o recurso à Junta de Recursos da Previdência Social. Como o erro era recorrente e de fácil percepção, redigi o recurso acrescentando, inclusive, o cálculo correto e me dirigi à citada agência do INSS para protocolá-lo. Aí tive a surpresa de que para protocolar o recurso tinha que ser feito um agendamento, pasmem! O mesmo foi feito para 08 de agosto de 2017. Segundo informação da funcionária que me atendeu, nessa data somente será dada entrada no recurso, que terá de aguardar na fila para ser analisado. E isso só deverá acontecer dentro de não se sabe quanto tempo. Mas disse que demora muito, um ano, dois, três, quem sabe? Sugiro a esse jornal, em nome de nossa cidadania, fazer uma reportagem a respeito da morosidade e o descaso do INSS para com seus segurados. Pois acredito que acontece com muita gente o que acontece comigo. É lamentável a incompetência de quem calculou meu benefício, ou quais servidores calcularam, visto que na planilha de histórico de revisão constam duas matriculas de servidores do INSS. Acredito na mídia para recorrer, visto que outros canais competentes são morosos e poucos resultados apresentam.Antonio Américo Perez dos Santos
americoperez@hotmail.com


Deixe seu comentário