ARTIGO

Um guerreiro libanês

Um guerreiro libanês

Acaso você se considera honesto? É trabalhador ou preguiçoso? Eis o exemplo de um homem que se dedicou ao trabalho e à família com amor, carinho, devoção e honestidade. Refiro-me ao senhor Semaan Jamil Fakhouri, nascido em 08.03.1928 em Batroumine, no Líbano, e chegou ao Brasil com 24 anos. Iniciou trabalho como camelô na Rua 25 de março vendendo frutas fatiadas em um carrinho. Posteriormente mudou-se para Uberaba (MG). Lá comprou um barzinho (bebidas e salgados) e, na sequência, uma loja de armarinhos e roupas feitas, se transformando em excelente comerciante.

Com mais experiência passou a atuar numa empresa de beneficiamento de arroz, sempre com muito trabalho e foi crescendo. Mais tarde adquiriu uma empresa de ônibus velhos junto com amigos (A Ultra em São Paulo) e passaram com muito esmero trocar os ônibus velhos por novos. Vendeu a empresa de ônibus e comprou uma Olaria e fábrica de cerâmica em Itupeva (Estado de São Paulo).

Passado algum tendo vendeu a Cerâmica e a Olaria e adquiriu um depósito de material de construção em São Paulo onde passou a residir. A partir daí investiu em imóveis e passou a viver de aluguéis. Este senhor que posso considerar como meu amigo merece o nosso carinho e respeito e posso utilizar uma velha frase: “A vida é dura para quem é mole”. Este guerreiro libanês serviu de exemplo. Recentemente deixou esta vida aos 90 anos. A esposa Salime (93 anos, agora viúva) ficou ao lado de quatro filhos: Lola, Lenita, Carim e Megida e muitos netos. A filha Lola é casada com Gino Lunardi Filho de Mogi das Cruzes. Daí o vínculo desta família com mogianos das famílias Lunardi e Martinelli. O que vale destacar é que quando se tem garra, sonhos, disposição para o trabalho e vida honesta, Deus vem até nós e nos eleva para que se possa ter uma vida digna. Este libanês-brasileiro partiu desta vida para outras dimensões. Podemos dizer que morreu? Não! A morte não existe. Ao queimar uma folha de papel se pode dizer a folha acabou, mas não, ela se transformou em cinzas e fumaça se fundindo com os elementos químicos da natureza. Assim é a nossa vida. A morte não existe tudo se transforma. Caro amigo Semaan, um dia nos encontraremos nas terras do Senhor. Peço que nos aguarde!

Olavo Câmara é advogado, professor, mestre e doutor em Direito e Política.