ARTIGO

Um novo panorama econômico

Marco Bertaiolli

Dados do IBGE divulgados nesta semana apontam que a taxa média de desemprego no país caiu de 12,3% em 2018 para 11,9% no ano passado. Foi a segunda queda anual consecutiva. A média de pessoas desempregadas em 2019 foi de 12,6 milhões, 1,7% a menos do que em 2018. No entanto, a informação que mais me chama a atenção diz respeito à informalidade.

Segundo o IBGE, a soma dos trabalhadores sem carteira assinada, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar— atingiu 41,1% da força de trabalho, o equivalente a 38,4 milhões de pessoas, o maior número desde 2016.

Não há dúvida que neste contingente está milhares e milhares de pessoas que perderam o emprego e passaram a prover renda através da própria força de trabalhando, usado, para isso, a indiscutível criatividade do brasileiro para superar crises e dificuldades.

É preciso criar e fomentar políticas públicas que aproveitem esse imenso potencial de trabalho e mão de obra e por isso estamos discutindo no Congresso a modernização da Lei do Jovem Aprendiz e novos mecanismos de valorização e fortalecimento das Micro e Pequenas Empresas, que representam a grande força de trabalho e são as principais responsáveis pela geração de emprego e renda. Tenho certeza que 2020 será o ano em que a economia se solidificará e voltará a crescer, dando oportunidades a todos aqueles que querem trabalhar e gerar renda neste País. E vamos em frente, porque o trabalho não para e ninguém faz nada sozinho. Juntos, somos mais forte.

Marco Bertaiolli é deputado federal e vice-presidente da Facesp


Deixe seu comentário