Uma jogada de sorte. E de bons resultados

O prefeito Marco Bertaiolli certamente só pensava em resolver um problema partidário doméstico quando filiou seu virtual candidato a prefeito, Marcus Melo, ao PSDB, do vice-prefeito Cuco Pereira. A ideia, a princípio, seria garantir um vice para o então prefeiturável Junji Abe, integrante do PSD, que assegurasse a repetição da dobradinha com o tucanato, que o levou à vitoria, na campanha, em 2012. Àquela altura, a candidatura de Junji parecia inabalável, e aquela seria a melhor alternativa para o prefeito ter alguém de seu staff direto dentro da Prefeitura, caso os dois vencessem as eleições de outubro próximo. A desistência do ex-prefeito, quando a legislação eleitoral já impedia a troca de partidos, entretanto, acabou por elevar Marcus Melo à condição de candidato a prefeito,mesmo estando filiado ao PSDB. E dessa forma, Bertaiolli, numa conversa com a coluna, chegou a admitir que errou ao filiar seus dois aliados mais próximos – Melo e Téo Cusatis – ao partido tucano. A mudança, no entanto, acabou dando bons frutos, pois acabou por comprometer ainda mais Geraldo Alckmin com o candidato mogiano, que agora pertence à sua própria agremiação. E mesmo não havendo confirmação oficial, o dedo do governador já pode ter funcionado para que a cúpula do PSB – nas mãos do vice-governador, Márcio França – convencesse Chico Bezerra a se alinhar com a dupla Marcus Melo e Juliano Abe na corrida sucessória local. E não será surpresa se semelhante estratégia vier a ser utilizada na direção de outros partidos igualmente alinhados com o Palácio dos Bandeirantes. Bertaiolli pode ter atirado no que viu e acertado o que não viu. Em cheio.

Memória
Há exatos dois anos, a Cidade perdia um de seus maiores defensores e nós, de O Diário, um grande amigo. Em plena Copa do Mundo de 2014, o historiador e professor que entendia de futebol e de tantos outros assuntos, nos deixava de maneira inesperada e, nem por isso, menos dolorosa. Naquele 7 de julho, José Sebastião Witter partia sem dizer adeus. E nós, que tanto o amávamos, sentimos até hoje sua ausência.

QG de Melo
O escritório político da dobradinha Marcus Melo e Juliano Abe já está funcionando no número 47 da Rua Victorio Partenio, no Parque Monte Líbano. Os políticos agora buscam um espaço maior para montagem do comitê central de campanha, que deverá ser um local com duas a três salas administrativas, com um grande galpão para reuniões com representantes da comunidade e outros segmentos, além de preparação dos cabos eleitorais e guarda de material de propaganda dos candidatos.

Imprensa
A jornalista Mara Flôres, ex-repórter deste jornal, deve assumir a Assessoria de Imprensa do Consórcio de Desenvolvimento Integrado dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). Vai ocupar a vaga de Ludmila Santos, que já está prestando serviços à agência FMartins, na cobertura do Edifício Mogidonto, em Mogi das Cruzes.

Incra
Mais uma reação à desativação do escritório do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Mogi das Cruzes. O vereador Claudio Miyake (PSDB) encaminhou à direção do órgão em São Paulo e Brasília, uma moção pedindo a intervenção em favor da solução para o assentamento dos ocupantes da área denominada Chácara dos Baianos, no Distrito de Jundiapeba.

Cotidiano

IMPROVISO  Desde outubro de 2015, quando foi atingido por um veículo, o ponto de táxis do Carmo está sem cobertura e sem banco usado por taxistas. (Foto: Edson Martins)
IMPROVISO Desde outubro de 2015, quando foi atingido por um veículo, o ponto de táxis do Carmo está sem cobertura e sem banco usado por taxistas. (Foto: Edson Martins)

 

Frase
Em todas as operações, os destinatários finais eram agentes políticos. Eles estão no topo da cadeia alimentar da propina.
Roberto Pozzobon, procurador de Justiça da Força-Tarefa da Operação Lava Jato


Deixe seu comentário