Uma semana de prováveis definições para as eleições

A semana que hoje se inicia talvez apresente alguma novidade na escolha de candidatos às próximas eleições. À medida que vão se estreitando os prazos para as definições de alguns nomes considerados vitais para a futura campanha, crescem também as preocupações das lideranças políticas em relação a alguns entraves que continuam atrasando as decisões sobre candidaturas e, por tabela, os preparativos para o trabalho nas ruas e na televisão. Do lado do prefeito Marco Bertaiolli (PSD), resta saber até onde questões de ordem jurídica podem ou não atrapalhar o nome mais cotado, o ex-prefeito Junji Abe (PSD). Este, por sua vez, continua garantindo que tais óbices não seriam suficientes para vetar sua eventual candidatura. Por via das dúvidas, Bertaiolli mantém Marcus Melo de sobreaviso para qualquer eventualidade, mesmo ele estando filiado ao PSDB, do atual vice, Cuco Pereira e do governador Geraldo Alckmin. Num outro extremo, Gondim continua se apresentando como pré-candidato, embora sobre ele pairem sempre dúvidas. Afinal, na eleição municipal passada ele também se apresentava como candidato e acabou desistindo na última hora. Sobram ainda interrogações para os lados do PR, do ex-deputado Valdemar Costa Neto, que tem marcado ponto na Cidade durante os fins de semana, e já deu mostras de que pretende influir no jogo sucessório, após os ataques contra Junji na tevê. Há quem garanta que o PR não deverá lançar candidato, mas há também quem afirme que os disparos feitos contra o ex-prefeito poderão ter ainda outros alvos. Sobram ainda expectativas para os lados do PV e PDT, que pretendiam unir forças para lançar Romildo Campello (hoje inelegível, por estar no cargo secretário-adjunto do Meio Ambiente de São Paulo) e Ronaldo Alabarce, mas tudo leva a crer que tudo não passou de mero factóide. Sobram Inês Paz, já consagrada pelo PSOL, Marco Soares, pelo PRB, e o petista Rodrigo Valverde, que neste final de semana chegou a brincar com a indefinição dos demais partidos, dizendo que poderá vencer as eleições por WO, ou seja, por falta de adversários. Há quem garanta, no entanto, que a semana pode chegar com surpresas ou definições na área governista. Por enquanto, são apenas especulações. Mas vale esperar para conferir.

Planejando
O pré-candidato a prefeito pelo PT, Rodrigo Valverde, juntamente com alguns candidatos a vereador, a executiva do partido, presidentes de partidos virtualmente coligados e sua equipe de trabalho realizam, amanhã, entre 8 e 17 horas, um trabalho de imersão, num sítio do Sindicato dos Papeleiros, na Estrada do Beija-Flor, longe de celulares e afins. Vão se concentrar na pré-campanha, buscando sincronizar ações conjuntas e definir os rumos das campanhas à Prefeitura e Câmara Municipal.

Que fim levou?
Aonde foram parar os planos do empresário Jurandir Bianchi de construir um crematório em Mogi das Cruzes? O assunto voltou a ser comentado pela Comissão Especial de Vereadores que discute o problema
da falta de vagas nos cemitérios de Mogi das Cruzes. Além de reativar o antigo Cemitério de Santo Ângelo e ampliar o de Sabaúna, o crematório foi uma das opções apresentadas pela CEV.

Candidatura
A conhecida empresária da noite mogiana, Solange Siqueira Sakoda, a Sula, promete ser uma das surpresas do Partido da Mulher Brasileira (PMB) na disputa pela vaga de vereadora nestas eleições. Fora da política há 22 anos, desde que concorreu pela última vez ao Legislativo, ela deverá ser empossada como vice-presidente da legenda, amanhã às 19 horas, em solenidade na Câmara. Segundo a virtual candidata, o PMB buscará valorizar a mulher em todos os sentidos.

Que País é este?
No País onde o Legislativo e Executivo não se ajustam ao cumprimento de suas funções, assiste-se à judicialização de quase tudo. Das regras eleitorais, às determinações para fornecimento de medicamentos e internações, entre outras medidas, agora até a entrada com pipoca no cinema depende de uma decisão da Justiça. E olha que o assunto foi parar no Superior Tribunal de Justiça, podendo chegar ao Supremo Tribunal Federal. É o fim da picada…

ABANDONO  O que já foi uma fonte luminosa sonora, junto à Avenida Cívica, hoje encontra-se sem um pingo de água e sem equipamentos. Culpa da dengue? / Foto: Edson Martins
ABANDONO O que já foi uma fonte luminosa sonora, junto à Avenida Cívica, hoje encontra-se sem um pingo de água e sem equipamentos. Culpa da dengue? / Foto: Edson Martins

Frase

A judicialização da política conduz à politização da Justiça.

Luís Nassif, jornalista, em artigo publicado no site Consultor Jurídico


Deixe seu comentário