PROJETO

Unidade de Mogi é prioridade para a direção do Sesc

CENÁRIO Área do Centro Esportivo do Socorro foi doado pela Prefeitura para instalação do Sesc. (Foto: arquivo)
ENDEREÇO O prefeito Marcus Melo entrega a Carla Barbieri, do Sesc, a chave da unidade provisória do Sesi de Mogi das Cruzes que será instalada nas dependências do Centro Esportivo do Socorro, na rua Rogério Tácola. (Foto: divulgação)

Uma entrega simbólica das chaves da área do Centro Esportivo do Socorro para o Serviço Social do Comércio (Sesc) foi feita ontem pelo prefeito Marcus Melo (PSDB). Mesmo durante a pandemia, as articulações para a instalação da unidade prosseguiram e a previsão é de abrir a unidade provisória após o primeiro semestre de 2021.

“A instalação de um Sesc em Mogi das Cruzes é um anseio de muitos anos, que conseguimos dar andamento, mediante um esforço conjunto entre Prefeitura, Câmara e o próprio Sesc. Ficamos à total disposição das equipes do Sesc, para facilitar e agilizar o que for possível dentro do processo de instalação, já que a vontade de todos é que a unidade entre em funcionamento o quanto antes”, destacou o prefeito.

A solenidade ocorreu nas instalações do Centro Esportivo do Socorro, com a presença da advogada e coordenadora da assessoria jurídica do Sesc, Carla Bertucci Barbieri. “Sempre falo que nunca vi uma Prefeitura tão organizada como a de Mogi no processo legislativo, de doação para o Sesc”, declarou ela, destacando que em uma reunião na Fecomércio, o presidente Abram Szajmann recomendou rapidez nas obras da unidade mogiana.

Segundo a lei que autoriza a doação da área, a partir da entrega do imóvel, o Sesc tem 18 meses para o início das atividades de ocupação, mais três anos para a apresentação do projeto arquitetônico referente à instalação da unidade permanente, além de um prazo de cinco anos após aprovação do projeto pela Prefeitura para a edificação.

A expectativa, portanto, é que as atividades do Sesc na cidade tenham início no próximo ano, a princípio por meio da operação de uma unidade provisória, que tem uma estrutura mais simples, porém já permite a execução de diversas atividades culturais, esportivas, de lazer e socioeducativas.

A transferência da área municipal ao Sesc foi oficializada em 11 de março deste ano, em um encontro entre o prefeito e o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, e o diretor regional do Sesc em São Paulo, Danilo Miranda.

Haverá um salto no atendimento ofertado hoje no local de 1.200/mês para 30 mil/mês, com mais de 700 atividades disponibilizadas não só para pessoas ligadas ao ramo do comércio, como a população de uma forma geral.

A unidade tem o potencial de gerar cerca de 500 empregos diretos e indiretos. O investimento para a instalação da unidade parte inteiramente do Sesc, não havendo emprego de verba pública no projeto


Deixe seu comentário