Valdemar Costa Neto está livre. E agora?

A decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, de conceder perdão ao ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR) antes que ele cumprisse pouco mais dos cinco anos que ainda restavam de sua condenação por participação no escândalo do mensalão poderá ter alguma influência na sucessão municipal de Mogi das Cruzes. Mas irá depender muito de como estará Valdemar após o período de recesso forçado, em que ele esteve a maior parte do tempo distante da Cidade. Embora ainda comandando o PR, será preciso saber até que ponto a política doméstica ainda lhe desperta algum interesse. Ou se suas preocupações continuarão voltadas prioritariamente para os assuntos de Brasília. Embora nos dias que antecederam os prazos finais para filiações e definições de candidaturas, o gabinete do deputado, em Brasília, tenha recebido uma pequena romaria de políticos locais ávidos por discutirem estratégias para o pleito, indaga-se, a essa altura do jogo, se haverá disposição de parte do ex-deputado para encarar uma campanha municipal e se haveria algum interesse político do partido em lançar algum nome à Prefeitura. A presença de Costa Neto recebendo seus aliados e correligionários certamente causará euforia suficiente para o surgimento de alguém disposto a encarar uma campanha. Mas há dúvidas se o político incentivará o partido a levar algo adiante. Questionado pela coluna acerca do retorno de Costa Neto, um influente político situacionista local, garantiu que, na prática, “absolutamente nada deverá mudar no quadro político atual da Cidade”, devido ao “bom relacionamento” do ex-deputado com a cúpula governista mogiana. O político lembrou que Costa Neto está atuando politicamente há mais de um ano e que o fato dele visitar Mogi durante os finais de semana, não deverá alterar muita coisa. Questionado sobre eventual desacerto entre ele e o virtual candidato da situação, Junji Abe (PSD), o político foi taxativo: “O Valdemar está maior que isso; por isso confio no alinhamento dele ao nosso candidato”, concluiu.

Advogado do Ano
Indicado pela 17ª Subseção de Mogi da OAB como “Advogado do Ano”, Mauro Campos de Siqueira irá receber o título de Honra ao Mérito durante sessão solene da Câmara de Mogi, por iniciativa do vereador Taubaté Guimarães (PMDB). Será no dia 20 próximo, às 20 horas, na sede do Legislativo.

Dialogando
“Redemocratizando a Política” será o tema da primeira roda de diálogo que os integrantes da Rede Sustentabilidade em Mogi irão promover hoje, à partir das 19h30, na Livraria Boigy, no início da Rua José Bonifácio. A proposta é uma conversa sobre as medidas e rumos a serem adotados para mudar o cenário político atual do País. O evento terá como convidado o professor e advogado Marcelo Doval, de Ciência Política e Direito Constitucional na Universidade de São Paulo.

Parque
A Prefeitura reabriu concorrência, na modalidade de “chamamento público” para exploração de restaurante e lanchonete no Parque Centenário da Imigração Japonesa, no Distrito de César de Souza. A empresa vencedora será conhecida no dia 7 de junho próximo. A primeira tentativa de mudar o comando dos serviços no local esbarrou numa ação judicial dos atuais responsáveis.

Idosos
O deputado Roberto de Lucena (PV-SP) foi eleito, nesta semana, presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara Federal. A mais nova comissão permanente do Legislativo terá como metas preservação e proteção dos direitos e garantias dos idosos; incentivar práticas e métodos de envelhecimento saudável, recebimento, avaliação e investigação de denúncias relativas à ameaça ou violações aos direitos da pessoa idosa, fiscalização e acompanhamento de programas e políticas governamentais.

No vaso existente na sede do Centro do Professorado Paulista, no Centro, um alerta à situação atual da Educação em SP / Foto: Edson Martins
No vaso existente na sede do Centro do Professorado Paulista, no Centro, um alerta à situação atual da Educação em SP / Foto: Edson Martins

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FRASE

O cirurgião Raul Cutait não será mais ministro da Saúde. O PP vetou o nome. Ele é acusado de ser… honesto.

Ancelmo Góes, jornalista, em sua coluna, ontem, no jornal O Globo, do Rio de Janeiro


Deixe seu comentário