INFORMAÇÃO

Vêm aí as Rondas Ostensivas Municipais de Mogi (Romu)

CAMINHADA A capivara passeava, tranquilamente, pelo gramado do Parque Centenário, em César, quando foi flagrada pela fotógrafa. (Foto: Nilze Giuseppe – divulgação)

Grupo será formado  pelo que de melhor existe na Guarda

A contratação de 40 novos guardas municipais, aptos a iniciar, na próxima segunda-feira, o período de formação e treinamento será o passo decisivo para a criação, dentro da instituição, das Rondas Ostensivas Municipais, a Romu, uma espécie de “tropa de elite” da Guarda Municipal de Mogi das Cruzes, a ser integrada por aqueles que mais se destacaram, até agora, dentro da corporação. O grupo especial ficará encarregado de exercer ações que fujam da rotina e demandem maior experiência e preparo dos policiais, devendo iniciar atividades a partir do próximo ano, com 15 integrantes. Até lá, caberá ao comando da instituição escolher e treinar ainda mais aqueles que poderão fazer jus à expectativa neles depositada pelas autoridades municipais e, principalmente, pela cidade. Com uma denominação que faz lembrar as Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a temida Rota, da Polícia Militar, o grupo somente poderá ser criado depois que os guardas recém-contratados, concluam o período de instrução e estejam em condições de assumir as vagas que serão deixadas pelos futuros integrantes do novo serviço a ser oferecido pela Guarda Municipal de Mogi. Atualmente com 209 integrantes, a corporação irá se aproximar dos 250 com a chegada dos novos concursados. E os preparativos para a formação do grupo especial já começaram com a chegada de duas novas viaturas que foram doadas à Prefeitura de Mogi pela NGK, além de outras dez, que estão sendo adquiridas com recursos do próprio município. Há ainda o empenho para se vencer a burocracia que tem atrasado em quase um ano o processo de armamento da Guarda Municipal. As exigências de autorizações de órgãos como o Exército e Polícia Federal têm sido apontadas como as principais causas da demora para que todos os membros da corporação possam trabalhar armados, algo que, se esperava, poderia acontecer no primeiro semestre deste ano. E mesmo que a segurança pública seja uma atribuição do Estado e que Mogi não esteja entre as campeãs da criminalidade do Estado, o prefeito Marcus Melo (PSDB) tem se preocupado em tentar reverter a sensação de insegurança que ainda pesa sobre parte dos mogianos. A “tropa de elite” é mais um instrumento para isso.

Vistoria

O deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) espera saber, até o final desta semana, a data em que os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde deverão vir a Mogi para uma avaliação da área interna do Hospital Luzia de Pinho Melo. A análise dirá em qual espaço poderá ser implantado o esperado heliponto. A medida se faz necessária depois que alguns pontos do terreno foram ocupados por novos setores do hospital, como o centro de tratamento oncológico, por exemplo.

Condomínios

Condomínio – Teoria e Prática” é o curso de 30 horas, voltado para administração de condomínios, que acontecerá a partir de 6 de novembro, com aulas às segundas e quartas, entre 19 e 22 horas, no Helbor Tower. O corpo docente é de peso: juiz Eduardo Calvert, delegado Alexandre Batalha, e advogados Caio Vano Congonhesi e David Pereira Gomes, ligados às comissões de Direito Notarial e Registral Imobiliário e Direito Condominial, respectivamente, da 17ª Subseção de Mogi da OAB. Informações: 2610-0173.

Cemitérios

Mais um Finados se aproxima e, até agora, não se tem qualquer notícia sobre eventuais soluções encontradas pela Comissão Especial de Vereadores para solucionar o crônico problema de falta de vagas nos cemitérios da cidade. Também não se vê qualquer movimentação de empresários no sentido de oferecer à cidade e região o crematório há muito tempo aguardado. Hoje, as opções mais próximas são Guarulhos, São Paulo e São José dos Campos.

Entre amigos

A bancada do PL na Câmara assinou, em conjunto, a proposta de outorga do título de Cidadão Mogiano para o deputado federal Marcio Alvino de Souza (PL-SP). O projeto teve ainda as assinaturas de Protássio Nogueira (PSD) e Mauro Araújo (MDB). Entre outras justificativas, a proposta diz que “Alvino adquiriu experiência profissional e pessoal trabalhando não só na Prefeitura de Mogi, durante a gestão de Waldemar Costa Filho, como na Prefeitura de Guararema, por cinco anos, ao lado de prefeitos como o atual deputado estadual André do Prado (PL). O projeto tramita pelas comissões do Legislativo.

Há muita gente com intensa religiosidade que não tem religião. Religiosidade se manifesta como convivência, fraternidade, partilha, agradecimento.

Mário Sérgio Cortella, 65 anos, filósofo, escritor, educador, palestrante e professor universitário brasileiro

Deixe seu comentário