CAMPANHA

Vice na chapa de Marcio França, Eliane Nikoluk quer ampliar efetivo policial no Alto Tietê

Coronel Eliane Nikoluk também defende a troca da frota de veículos das polícias e programa de incentivo à educação. (Foto: Edson Martins)
Coronel Eliane Nikoluk também defende a troca da frota de veículos das polícias e programa de incentivo à educação. (Foto: Edson Martins)

Com 30 anos na Polícia Militar, a coronel Eliane Nikoluk acredita que pode fazer mais pelo Estado de São Paulo ingressando na política. Para a candidata ao cargo de vice-governadora na chapa com o atual chefe do Palácio dos Bandeirantes e candidato à reeleição, Márcio França (PSB), a melhora nos indicadores de segurança será possível com o fim do deficit de agentes nas polícias Civil e Militar, troca da frota de viaturas e investimentos em um programa de fomento à educação.

Candidata pelo Partido da República (PR), ela admite o deficit nas polícias e o estima em cerca de 10%, o que gera diminuição do policiamento ostensivo e problemas na hora de registrar a ocorrência. “Este é um dos nossos primeiros compromissos com o governo. Teremos que resolver nos próximos anos porque a formação de policial envolve concurso. Então, precisamos prever o desligamento daqueles que estão saindo e ter um planejamento capaz de completar todo o deficit nos próximos quatro anos”, destacou.

De junho para julho, o número de homicídios dolosos no Alto Tietê saltou de 5 para 17 casos. Segundo a candidata, a análise destes casos permite dizer que a maior parte das vítimas tem envolvimento com o tráfico e está na faixa etária entre 13 e 29 anos. Portanto, além de investir na Polícia, Elaine diz que o plano de governo da chapa pretende ampliar o programa de alistamento civil. “A iniciativa prevê que este jovem entre 16 e 18 anos se inscreva no programa e receba bolsa de estudos de R$ 500,00 para estudar e fazer atividade voluntária”, pontua a candidata.

Questionada sobre os casos de envolvimento de policiais militares em chacinas e de civis em esquema de jogos de azar, Elaine se mostrou firme em dizer que é necessário um processo de depuração. “São duas vertentes: Corregedoria forte no enfrentamento destes problemas e a população com a denúncia”, disse.

Para a questão viária no Alto Tietê, Elaine pontuou a construção do Macroanel como alternativa para diminuir os congestionamentos na Mogi-Bertioga, principalmente aos finais de semana e feriados, já que o projeto prevê a duplicação de parte da via. Em relação ao atraso no início da duplicação da Mogi-Dutra, ela dá o mesmo prazo anunciado pelo governador: 10 de setembro.

Se eleita, Elaine prometeu que a administração dará atenção ao projeto de instalação do heliponto no Hospital Luzia de Pinho Melo, uma demanda antiga de toda a Região. “Vai ter de ser feito um estudo de viabilidade, porque mesmo com uma área próxima, o que os novos projetos de hospitais já têm, esta é uma necessidade primária”, pontuou.

Na área da educação, o principal projeto da chapa é ofertar ensino técnico e superior gratuito a todo o jovem da rede estadual que termina o ensino médio. “O projeto é da Univesp, que é a universidade virtual, com chancela da USP, Unicamp e Unesp. Por meio de convênio com os municípios, eles terão acesso a essas aulas. E ele vai ter a oportunidade de optar também pelo curso técnico quando estiver no segundo ano do ensino médio”, diz. Segundo a candidata, hoje há 244 polos no Estado, com 31 mil alunos cadastrados.

Por fim, Elaine garantiu que a gestão da chapa terá diálogo aberto com os consórcios de cidades porque, segundo ela, as alternativas precisam ser pensadas por blocos regionais, como o do Alto Tietê. “Estes consórcios poderão deliberar quais as principais demandas e vamos elencar e resolvê-las. É uma forma de sabermos o que é o problema, porque são estas pessoas que vivem aqui e sabem quais são as principais demandas”, destacou.

Perfil
Eliane Nikoluk tem 48 anos, é formada em Educação Física e Gestão Pública, casada e mãe de duas meninas. Filha de policial militar, ela ingressou na corporação no final da década de 1980. Até em janeiro último, estava à frente do Comando de Policiamento do Interior (CPI-1), onde era responsável por 39 municípios do Vale do Paraíba, da Serra da Mantiqueira e do Litoral Norte.


Deixe seu comentário