ATUALIZADO

Vice-prefeito de Arujá é preso em operação que apura desvio de verbas da Saúde

OPERAÇÃO Márcio José e outros cinco suspeitos foram presos, ontem. (Foto: divulgação)
OPERAÇÃO Márcio José e outros cinco suspeitos foram presos, ontem. (Foto: divulgação)

A Polícia Civil de Guarulhos prendeu nesta quinta-feira (30) o vice-prefeito de Arujá, Márcio José de Oliveira (PRB), no condomínio onde reside na cidade. Ele foi capturado por crimes tributários por decisão do mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal Tributária a pedido do delegado Fernando José Goes Santana, do 4º DP de Guarulhos, coordenador da segunda fase da Operação Soldi Sporchi II, que apura desvio de verbas da Secretaria Municipal de Saúde.

As equipes policiais cumpriram mandado de busca e apreensão no gabinete do político, encontrando documentos e materiais que podem ajudar nas investigações. A ação policial teve a presença do presidente da OAB de Arujá, Renato dos Santos Gomes e do advogado Leonardo Souza Costa, da Comissão de Prorrogativas, da OAB, em Guarulhos, por ser o vice-prefeito advogado.

O delegado disse que, ao todo, haviam 12 mandados de prisão e 20 mandados de busca e apreensão. De acordo com a autoridade, os membros da quadrilha desviavam dinheiro do Hospital Municipal Dalila Ferreira Barbosa, em Arujá, onde faziam contratos superfaturados e parte do dinheiro retornava para os criminosos.

Os acusados estariam envolvidos com uma organização criminosa autora de tráfico de drogas. Um vizinho de condomínio de Márcio José, Anderson Lacerda Pereira, suposto chefe do grupo e que seria integrante da facção criminosa PCC, não foi preso.

Na blitz realizada também em Mogi das Cruzes e Bertioga, foram capturados mais cinco investigados. São eles a vendedora Selma Batista dos Santos, de 40 anos, de Poá; a auxiliar administrativa Thais Lopes de Oliveira, de 20 anos, de Itaim Paulista; a supervisora Sandra Masukawa, de 35 anos, e a irmã dela, a dentista Sara Cristina Masukawa, de 29 anos, ambas de Suzano; o comerciante Edson Rodrigues Peres, de 54 anos, de Barueri, e o autônomo Bruno Macedo Pereira, de 33 anos. Este último foi detido na casa dele, em Indaiatuba, e por manter uma arma ilegal ele foi, ainda, autuado em flagrante.

Os defensores dos suspeitos não foram localizados pela reportagem de O Diário.

Em nota, a Prefeitura de Arujá afirma que foram feitas buscas e apreensão apenas no gabinete do vice-prefeito. Disse ainda que aguarda os desfechos da operação e se colocou à disposição da Justiça para colaborar no que for preciso. No mês passado, a mesma operação deteve o ex-secretário de Segurança de Arujá, Carlos Roberto Vessechi.


Deixe seu comentário