ARTIGO

Vigília e consciência

Marcus Melo

Começou com uma forte dor de cabeça. Depois, a tosse seca. Minha esposa Karin perdeu olfato e paladar. Poderia ser apenas uma gripezinha. Não era. Os exames confirmaram que ambos estávamos infectados pelo novo coronavírus. Não sabemos onde contraímos a doença. Todos os cuidados de higiene e o uso de máscaras não foram o bastante. Pode ter sido no hospital, onde acompanhei meu irmão Renê. Pode ter sido em qualquer momento, em qualquer lugar. E com o oportunismo da doença frente à nossa fragilidade emocional.

Cumprimos a recomendação médica da quarentena. Os medicamentos aliviam um pouco as dores e a falta de ar. Estamos bem. Nem sempre é assim. Cada organismo reage de forma diferente. Então, redobrem as medidas de higiene e respeitem o distanciamento social.

Administramos a Cidade à distância. A Prefeitura tem tomado todas as medidas necessárias para enfrentar a pandemia. Os efeitos socioeconômicos são avassaladores e não temos como prever quando a economia será retomada. Sei bem o quanto é difícil porque, antes de estar gestor público, sou empresário. Força, setores produtivos! Força, gente!

Dói saber que há muitos menosprezando o vírus. Tivemos de fechar uma tabacaria que promovia uma festa. Pessoas driblam a fiscalização para se aglomerar no Pico do Urubu. O lugar é lindo, mas não é hora para conferir. Mogi está entre os 10 dos 645 municípios do Estado com o maior número de casos e mortes por Covid-19. Fazemos um dramático apelo por vigília e consciência! Só saia à rua em caso de extrema necessidade e usando máscara. No mais, #FiqueEmCasa. Por você, por quem você ama e por toda a sociedade para vencermos a pandemia. E vamos vencer!

Marcus Melo é administrador de empresas e prefeito de Mogi das Cruzes/SP


Deixe seu comentário