ATUALIZADO

Vila Industrial é tricampeã do Carnaval de Mogi das Cruzes; veja fotos do desfile

O Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos da Vila Industrial foi a vencedora do Carnaval 2020 de Mogi. (Foto: Elton Ishikawa)

Um desfile quase perfeito. Assim pode ser chamada a passagem da campeã do Carnaval pela avenida Cívica de Mogi das Cruzes. O Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos da Vila Industrial recebeu uma única nota que não foi 10 durante a apuração realizada na manhã desta segunda-feira (24), no Centro Cultural, sendo um no quesito 9,9 de evolução. Com o enredo “O Canto das Três Raças”, a agremiação fecha uma trilogia coroada com o tricampeonato (veja abaixo fotos do desfile).

Nas duas últimas edições do desfile das escolas de samba de Mogi, a Vila havia sido campeã com os enredos “Resiliência” e “Yggdrasil e a Lenda do Quinto Dia”. “Essa trilogia foi concretizada com sucesso e estamos muito felizes sendo campeões mais uma vez. Agora, vamos conversar com a diretoria e ver o que faremos para o próximo ano, ver se nossa diretoria continua à frente da escola ou não”, afirmou o atual presidente, Emerson Rodrigues da Silva, o Lezinho.

(Fotos: Elton Ishikawa)

A estimativa é de que a escola tenha investido cerca de R$ 120 mil neste Carnaval. Mas o dinheiro não significa tudo e ele afirma que as nota dez em todos os quesitos não podem ser compradas e que tudo isso é construído com uma base muito forte na quadra. Para Lezinho, a escola não ganha o Carnaval na avenida, o que acontece por lá é a concretização de um trabalho feito durante os meses anteriores.

Em todos os anos, acredita-se que o abre-alas da agremiação foi o maior carro já visto na festa mogiana. Ele inclusive, foi o responsável por um problema durante a noite do domingo. Segundo o presidente, a avenida conta com um desnível, o que fez com que a alegoria fosse em direção ao alambrado. A questão, entretanto, foi minimizada pela harmonia, que conseguiu colocar a escola no prumo novamente.

Este, porém, não foi o único problema do desfile. Durante a passagem da Acadêmicos do São João, que ficou em 2º lugar, o som foi interrompido por três vezes, o que atrapalhou a apresentação da agremiação. O secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, explicou que a responsável era uma empresa terceirizada, que será penalizada de alguma forma, tendo provavelmente que devolver parte da verba que recebeu para instalar o sistema de som.

“Isso atrapalha muito a evolução da escola, passar com o som desligado fica muito difícil. Mas agora nós temos que pensar no Carnaval do ano que vem, que já temos até o enredo. A São João este ano fez um desfile majestoso, com muita fantasia bonita e os carros alegóricos lindos. A gente não pecou em nada, mas tivemos punições muito altas. Então, vamos pegar os comentários dos jurados e ver o que podemos trabalhar melhor para 2020”, pontuou Luiz Bicudo, presidente da São João.

EM FESTA Integrantes da Unidos da Vila Industrial comemoram o resultado da apuração do desfile realizada no Centro Cultural de Mogi. (Foto: Eisner Soares)

A escola alcançou a segunda posição com um total de 177,7 pontos e o enredo “No renascer dos sonhos a Verde e Rosa canta Leonardo da Vinci”. Em terceiro, com “Romaria Negra no Altar do Tempo: A Procissão da Vida”, ficou a Estação Primeira de Braz Cubas, tendo 171,1 pontos. A agremiação teve um carro alegórico com dois minutos de atraso e acabou perdendo 0,2 ponto.

Em quarto lugar, a Acadêmicos da Fiel, com o enredo “Saúde um bem comum que necessita de educação para a sua promoção”, perdeu seis pontos. É necessário entrar com, no mínimo, 300 componentes e a agremiação contava apenas com 250. Além disso, a ala das baianas apresentou só cinco representantes.

“A avenida teve um Carnaval muito bonito, acho que um dos mais bonitos que a gente teve nesses últimos anos. As escolas entenderam que é preciso se fortalecer com a comunidade. E isso aconteceu. Já vimos as escolas mais cheias de gente e esperamos que isso se mantenha para o próximo ano. A gente já tem ouvido algumas escolas sinalizando que pretendem voltar e é isso que a Prefeitura quer, que o Carnaval seja rico, alegre, feliz e seguro”, concluiu Sartori.

Blocos vão encerrar o Carnaval de rua

ANÁLISE Mateus Sartori aposta no crescimento da festa em 2021. (Foto: Eisner Soares)

O Carnaval de rua de Mogi das Cruzes termina nesta terça-feira, com dois grupos se apresentando juntos em Sabaúna e outros dois, separadamente, na região central da cidade. No distrito, a festa fica por conta do Sem Freio e o Gira Mundo, enquanto no Largo Bom Jesus, às 13 horas, tem início o Bloco da Lamour e na sequência o já tradicional Bloco Gonzagão.

Mesmo antes do fim do evento, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, faz um balanço positivo. “O que eu tenho visto é um Carnaval que dificilmente vai acabar, porque ele se fortaleceu”, disse. Esta foi a primeira vez que a Prefeitura apoiou oficialmente os grupos, com a organização, segurança e implantação de banheiros químicos.

“O Carnaval de rua é de muitos anos atrás, não é algo criado este ano pela Prefeitura. É preciso reconhecer que tivemos sim um problema de diálogo entre blocos e o poder público em 2013, mas isso foi solucionado e o diálogo está excelente. Agora, já vamos continuar a pensar no Carnaval de 2021, de repente trazer até cursos, conversar com outros grupos para entender como os blocos podem captar recursos, dá para fazer muitas coisas”, afirmou o chefe da pasta.

Sartori disse ainda que para o próximo ano, caso aconteça o crescimento do evento, é possível pensar em outros trajetos e, inclusive, um circuito com trios elétricos. Até ontem, a festa não havia registros de ocorrências policiais ou da saúde, o que incentiva ainda mais essa ampliação da festa.

“As pessoas estão participando e a gente tem visto muitas famílias e crianças nas ruas. A gente precisa pensar em um bloco infantil para o ano que vem, precisamos pensar nesse Carnaval para a criançada. O Bloco 60 Mais também foi muito legal e talvez o mais cheio que já tivemos. Então, só tende a crescer. A gente vai trabalhar para que mais blocos surjam e, com certeza, a Prefeitura vai dar o apoio necessário para a gente manter minimamente a segurança, a ordem e a limpeza”, finalizou o secretário.


Deixe seu comentário