INFORMAÇÃO

Vult oficializa fim das atividades em Mogi

Ministério da Saúde cancela autorização de operação da empresa

O Ministério da Saúde baixou resolução cancelando a autorização de funcionamento da empresa Vult Comércio de Cosméticos Ltda, localizada na Avenida Ricieri José Marcatto, na Vila Suíssa, em Mogi das Cruzes. Motivo do cancelamento: a empresa teve a sua situação cadastral baixada junto à Receita Federal do Brasil. A medida governamental é só mais um desdobramento resultante da compra da empresa mogiana pelo Grupo Boticário, ocorrida em março de 2018. A desativação dos setores de logística e distribuição da Vult já havia sido anunciada no início do ano passado. Com tudo isso, os produtos da empresa criada em Mogi das Cruzes, no ano de 2004, por Daniela Cruz e Murilo Reggiani, foram absorvidos pelo Boticário, depois que a Vult foi incorporada à unidade de negócios da MultiB, canal de varejo do grupo. Quando foi vendida, a Vult mantinha 35 mil pontos de vendas no País, destacando-se pela sólida presença no varejo farmacêutico, onde era líder em vendas de maquiagem. A adquirir a Vult, o grupo Boticário buscava conquistar um público jovem e antenado na internet, que consumia os produtos da empresa mogiana, caracterizados pela qualidade e bons preços. Outro ponto que interessou ao comprador foi justamente a venda em farmácias, lojas de departamentos e quiosques, onde a Vult desenvolvia uma política extremamente agressiva e de excelentes resultados. Com a compra, o Boticário buscou ainda diversificar o seu mix de produtos, com os chamados itens de entrada, como esmaltes, por exemplo. A aquisição, que colocou o Boticário como o segundo maior grupo de maquiagem do País, atrás somente da Avon, deixou uma dúvida que persiste até os dias de hoje: o real valor da transação. Há especulações que vão dos R$ 80 milhões até R$ 1 bilhão. Basta conferir na internet.

Em Roma

O proprietário da livraria católica Dom Divino, Jonny Peña Rodriguez, está em Roma, onde visitou os estúdios da Rádio Vaticano, onde gravou uma mensagem do jornalista Silvonei José Protz especialmente para o site Igreja na Mídia, de Mogi. Silvonei, porta-voz da emissora para o Brasil, lembrou recente pronunciamento do papa Francisco e comentou a importância da mídia na divulgação de notícias verdadeiras, sem influência das chamadas fake news. Ele exortou a todos que atuam no setor a usarem de maneira correta os meios de comunicação.

Cemitérios

Com 51 páginas e 194 artigos, está sendo avaliado pelas comissões permanentes da Câmara Municipal o projeto de lei de autoria do prefeito Marcus Melo (PSDB) que normatiza os serviços funerários e atividades desenvolvidas nos cemitérios municipais de Mogi. Nove desses artigos tratam exclusivamente a instalação de crematórios na cidade, seja por meio de Parceria Público Privada (PPP), ou mediante concessão do serviço. Não há prazo para a proposta ser votada.

Lançamento

O frei italiano Vittorio Infantino, responsável por inúmeras obras sociais em Caçapava e outras cidades do Vale do Paraíba e Litoral Norte, estará em Mogi, no próximo domingo, dia 1º de março, para o lançamento de seu livro “A Aventura Humana de Deus”, onde relata um pouco de sua vida religiosa. Antes de autografar a obra, ele irá concelebrar a missa das 11 horas, na Catedral de Santana, ao lado do padre Claudio Delfino. Natural de Tricárico, o frade de 82 anos está no Brasil desde 1966.

Flagrantes

O delegado seccional Jair Barbosa Ortiz reúne-se hoje com os delegados titulares de Mogi, Suzano, Poá, Ferraz e Itaquá visando instalar e regulamentar o funcionamento de Centrais de Flagrantes na região. Elas já existem em Mogi e Itaquá (que também atende Poá). Passará a existir em Suzano (para dar atendimento também a Ferraz). Todas as três deverão ser regulamentadas para que, no futuro, possam operar como unidades autônomas, independentes dos distritos policiais onde começam atuando.

Frase

Governo é como violino: você toma com a esquerda e toca com a direita.

José Sarney, ex-presidente da República do Brasil


Deixe seu comentário