MENU
BUSCAR
INFORMAÇÃO

Jornalista mogiana integra grupo vencedor do Prêmio Jabuti

Jamile Santana foi uma das editoras do livro "Prato Firmeza Preto - Guia Gastronômico das Quebradas", que mostra a participação de empreendedores negros e suas histórias na atual gastronomia paulistana

Darwin ValentePublicado em 27/11/2021 às 20:44Atualizado há 2 meses
Foto: arquivo pessoal
Foto: arquivo pessoal

Uma notícia para deixar a classe orgulhosa. A jornalista mogiana Jamile Santana integra coletivo que ganhou o Prêmio Jabuti, o mais tradicional e importante prêmio literário do País, concedido pela Câmara Brasileira do Livro. 

Jamile participou da equipe formada por mais de 30, jornalistas e comunicadores de áreas periféricas de São Paulo, a maioria negra, responsável pela elaboração do “Prato Firmeza Preto – Guia Gastronômico das Quebradas”. 

O livro que foi premiado na categoria Criativa, durante o encerramento do prêmio, nesta semana, é “um guia gastronômico só de empreendedores negros e periféricos, que conta histórias dessas pessoas, muitas ligadas a ancestralidades, a comida e afeto e de empreendedorismo”, conta Jamile. 

A mogiana ressalta o trabalho em equipe, mas não esconde a sua emoção com a premiação. Jamile atuou como uma das editoras do livro.

 Pagamento por ofensa

O ex-secretário municipal de Segurança Pública de Mogi, coronel reformado da PM, Paulo Roberto Madureira Sales, divulgou em suas redes sociais que recebeu R$ 5 mil de indenização por danos morais de Felipe Lintz, ex-candidato a prefeito mogiano, nas eleições municipais passadas. 

A Justiça determinou o valor em razão de ofensas e por ter se dirigido a Sales como “coronel idiota”, entre outros adjetivos. 

Lintz havia sido condenado em primeira instância, recorreu da sentença que foi confirma em instância superior, transitando em julgado o processo. 

Para receber o valor, o militar aposentado teve de recorrer ao bloqueio de contas do ex-candidato.

 Condolências

O arcebispo metropolitano do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, encaminhou documento ao padre Alessandro Campos, de Mogi, expressando condolências pelo falecimento da avó, Joana Miguel, “por quem elevo a Deus minhas preces para que a receba na bem-aventurança eterna”. 

Em sua mensagem, dom Orani diz que “ Jesus Cristo, nesta Páscoa,agora acolhe a intercessão dela pelos entes queridos”. 

E finaliza: “Em unidade desejo-lhe, bem como aos familiares e amigos, toda consolação e paz que brotam da nossa fé e envio-lhe uma bênção fraterna”.

 Boas novas

Recupera-se positivamente o jornalista Evaldo Novelini (ex-O Diário), que na última quarta-feira submeteu-se a uma delicada cirurgia para substituição, pela segunda vez, de válvulas cardíacas. 

A intervenção feita pela equipe do cirurgião Paulo Chakur, do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, foi muito bem sucedida e o paciente já trocou a UTI pelo quarto, devendo receber alta hospitalar já nas próximas horas, se a recuperação continuar acelerada.

 Mogiano na OAB - Sâo Paulo

A chapa 14, liderada pela advogada Patricia Vanzolini, foi a vencedora da eleição para o comando da Seção São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Ela é doutora em Direito pela PUC-SP e será a primeira mulher a comandar a entidade durante toda a sua existência. 

E, importante: ela terá a seu lado, como vice-presidente, um mogiano, o advogado Leonardo Sica, filho de Samira (já falecida) e do médico e cirurgião dentista Geraldo Sica, neto do ex-prefeito Waldemar Costa Filho (também falecido) e sobrinho do presidente do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto.

  

ÚLTIMAS DE Informação