Diário Logo

O Diário Logo

7 dicas para pintar as paredes da casa

A lista contém dicas valiosas, que farão a diferença no processo de pintura da sua casa

29 de abril de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Muitas pessoas procuram saber como pintar a parede da própria casa, seja para aprender uma nova atividade ou, até mesmo, para economizar na hora da reforma. Seja qual for o motivo, para realizar essa tarefa é necessário ter e conhecer melhor os equipamentos e instrumentos fundamentais para isso.

Com isso em mente, Rodrigo Pothin, CMO da Loja do Mecânico, plataforma multicanal de máquinas e ferramentas, lista acessórios essenciais para esse trabalho e algumas dicas práticas que facilitarão todo o processo. Confira a seguir!

Veja ainda

5 receitas simples e crocantes de torrada

5 dicas para utilizar formas orgânicas na decoração

7 dicas para usar espelhos na decoração da casa

1. Acessórios necessários para pintar parede

Além das tintas, é bom ter equipamentos de proteção individual, como óculos de segurança e luvas. Eles são usados para impedir que os respingos caiam sobre os olhos e as mãos. A touca árabe é uma ótima opção para proteger os cabelos. Em áreas abertas, esse equipamento de segurança também mantém o pescoço protegido do calor e dos raios solares. Parece exagero, mas não é. Segurança é o item número um de quase todas as tarefas.

Para pintar as paredes, são outros instrumentos fundamentais: espátulas, desempenadeiras, bandejas, lixas, trinchas, pincéis, rolos, extensores, solventes e misturadores de tinta. Ah, também é importante pensar na proteção do espaço: usar lonas, papel velho ou jornal, pode ser útil para proteger o chão. Vale pensar nos móveis também. Se não for tirá-los do lugar, é bom encapar ou cobrir a superfície.

2. Prepare o local

Como falamos, é recomendado retirar móveis e objetos do ambiente, sempre que possível. Em seguida, forre o chão usando lonas próximas à área que receberá a tinta para evitar respingos. Também é indicado preservar os espelhos das tomadas: retire-os ou coloque uma fita de proteção, no entorno e superfície.

Para evitar sujar janelas e portas, é importante usar fita crepe nesses lugares. Ela pode ser aplicada também nos rodapés das paredes e nos canteiros do teto, protegendo áreas que não devem receber tinta e garantindo melhor acabamento.

3. Prepare a parede para a pintura

O segundo passo para pintar a parede é conferir as condições da área a ser pintada. Pode ser necessário passar argamassa ou massa corrida para nivelar imperfeições ou mesmo tapar pequenos buracos. Observe o tempo de secagem desses produtos, antes de seguir à próxima etapa.

Ainda com o objetivo de deixar a parede uniforme antes da pintura, é importante lixá-la. Você pode fazer isso com as lixas para alvenaria, tranquilamente. No entanto, se você tiver um pouco mais de destreza, pode agilizar o serviço usando uma lixadeira de parede motorizada. O equipamento otimiza o trabalho e garante mais precisão, nivelando a área adequadamente, mas é bom que você tenha treinado antes e esteja familiarizado com a ferramenta.

Bandeja de plástico branca com tinta verde no chão coberta com celofane e mão de mulher segurando rolo de pintura

Para obter melhores resultados na pintura, dilua a tinta na bandeja com água (Pressmaster) | Shutterstoc

4. Prepare a tinta

Com a parede pronta, é hora de pensar na tinta. Nessa etapa, você precisa dissolver o produto na bandeja com a dose de água recomendada na embalagem. Siga as instruções do fabricante sempre, pois isso garantirá o melhor aproveitamento do produto e, também, impactará na qualidade final da aplicação.

É interessante utilizar um misturador de tintas, até o material adquirir consistência. Você pode adquirir o equipamento em lojas especializadas, facilmente. Existem opções mais simples, que custam cerca de R$ 20 reais, ou elétricos, que custam algo em torno de R$ 250 ou R$ 300.

5. Comece a aplicação da tinta

Você pode iniciar sua pintura pelos cantos com um pincel. Molhe o pincel na tinta, remova o excesso, cuidadosamente, e aplique em linha reta e contínua. Nessa etapa, uma boa dica é fazer a pintura das beiradas até chegar às fitas usadas no teto e nos rodapés. Isso dará um acabamento mais uniforme.

Após pintar os cantos, você vai iniciar a pintura com o rolo. Vale usar um extensor para garantir melhor mobilidade, alcance e facilitar sua tarefa. Passe o rolo na bandeja com tinta e, depois, remova o excesso. Em seguida, aplique começando pela parte de cima, deslizando o rolo para baixo, em vertical, sem pressionar o extensor e o rolo contra parede.

Os movimentos precisam ser leves para que a tinta não escorra pela parede. Passe o rolo em toda a superfície, sempre na mesma direção, cobrindo todos os pontos. Evite passar muitas vezes no mesmo espaço, isso pode deixar manchas. Acabando essa fase, espere secar por, pelo menos, 4 horas.

6. Aplique a segunda demão

Passado o tempo de secagem, vamos precisar de uma segunda demão. O objetivo é corrigir defeitos da primeira pintura e fazer o acabamento para que a parede fique do jeito que você deseja. Aqui, sua tarefa é mais simples: refaça o processo da primeira aplicação de tinta. Vale cobrir as pequenas falhas com o pincel, cuidadosamente, e usar o rolo para deixar a cobertura uniforme.

Quando a tinta estiver quase seca, você pode retirar as fitas dos canteiros e das tomadas. Espere a secagem completa para inserir os espelhos dos interruptores e tomadas de volta ao local, caso tenha retirado antes da pintura.

7. Limpe e guarde os materiais

Depois do processo, lave o pincel e o rolo utilizando um solvente. Tenha cuidado, pois esses produtos são inflamáveis e podem trazer risco à saúde caso inalados. Lembre-se de usar os equipamentos de proteção pessoal. Depois de limpos e secos, é importante juntar os materiais e deixá-los organizados num depósito ou outro lugar adequado, para poderem servir numa próxima necessidade de pintura.

Por João Lourdes

Veja Também