Diário Logo

O Diário Logo

Saiba os sintomas e como prevenir a hepatite B

A hepatite B é uma doença viral que afeta o fígado, causada pelo vírus da hepatite B (HBV). É uma das formas mais comuns da condição e pode variar em gravidade, desde uma infecção aguda que dura algumas semanas até uma infecção crônica, que pode persistir por toda a vida e levar a complicações graves, […]

30 de abril de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

A hepatite B é uma doença viral que afeta o fígado, causada pelo vírus da hepatite B (HBV). É uma das formas mais comuns da condição e pode variar em gravidade, desde uma infecção aguda que dura algumas semanas até uma infecção crônica, que pode persistir por toda a vida e levar a complicações graves, como cirrose hepática, câncer de fígado e insuficiência hepática.

A transmissão ocorre por meio do contato com sangue, secreções corporais infectadas, relações sexuais desprotegidas, compartilhamento de agulhas contaminadas, ou de mãe para filho durante o parto. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde no relatório Hepatites Virais 2023, estima-se que cerca de 1 milhão de brasileiros têm o vírus da hepatite B, mas apenas 264 mil estão diagnosticados.

Sintomas da hepatite B

A Dra. Michelle Zicker, infectologista do hospital São Cristóvão Saúde, explica que geralmente a Hepatite B não apresenta sintomas. “Muitas vezes, o diagnóstico só é feito décadas após a infecção, com sinais relacionados a outras doenças do fígado, como cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, que costumam manifestar-se apenas em fases mais avançadas da doença. A ausência de sintomas na fase inicial dificulta o diagnóstico precoce da infecção em muitos casos”, afirma.

Diagnóstico da hepatite B

A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem como meta diagnosticar 90% das pessoas com hepatites virais, tratar 80% das pessoas diagnosticadas, reduzir em 90% novas infecções e, em 65%, a mortalidade. O teste de triagem para Hepatite B é realizado por meio da pesquisa do antígeno do HBV (HBsAg), que pode ser feita por meio de teste laboratorial ou teste rápido. Caso o resultado seja positivo, o diagnóstico deve ser confirmado com a realização de exames para pesquisa da carga viral.

frascos de vacina de hepatite B
A vacina é a principal forma de prevenir a hepatite B (Imagem: ronstik | Shutterstock)

Prevenindo a hepatite B

A principal forma de prevenção da infecção pelo vírus da hepatite B é a vacina, que está disponível gratuitamente no SUS (Sistema Único de Saúde) para todas as pessoas não vacinadas, independentemente da idade.

Para crianças, a recomendação é que se façam quatro doses da vacina, sendo: ao nascer, aos 2, 4 e 6 meses (vacina pentavalente). Para a população adulta, geralmente, o esquema completo se dá com aplicação de três doses, enquanto para população imunodeprimida deve-se observar a necessidade de esquemas especiais com doses ajustadas, disponibilizadas nos Centros de Imunobiológicos Especiais (CRIE).

Outras formas de prevenção devem ser observadas, como usar camisinha em todas as relações sexuais e não compartilhar objetos de uso pessoal, como lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, material de manicure e pedicure, agulhas e seringas, equipamentos para confecção de tatuagem e colocação de piercings.

Tratamento contra a doença

Para todas as crianças expostas à hepatite B durante a gestação, a recomendação é a vacina e imunoglobulina (IGHAHB) para hepatite B, preferencialmente nas primeiras 24 horas do pós-parto – essas medidas realizadas em conjunto previnem a transmissão perinatal da doença em mais de 90% dos recém-nascidos.

“A hepatite B não tem cura. Entretanto, o tratamento disponibilizado no SUS objetiva reduzir o risco de progressão da doença e suas complicações, especificamente cirrose, câncer hepático e até a morte. Os medicamentos disponíveis para controle da hepatite B são a alfapeginterferona, o tenofovir desoproxila (TDF), o entecavir e o tenofovir alafenamida (TAF) e só devem ser administrados com a prescrição de um médico”, finaliza a Dra. Michelle Zicker, reforçando a busca por auxílio especializado em caso de quaisquer dúvidas sobre o tema.

Por Fernanda Martinelli

Veja Também