CULTURA

Cantora e compositora Valéria Custódio, de Mogi, lança novo single nesta sexta-feira nas plataformas digitais

TRABALHO Cantora mogiana faz nova divulgação para a canção que também integra o disco ‘Mais Terra Do Que Céu’, lançado por Paulo Betzler em junho. (Foto: Lethicia Galo - divulgação)
TRABALHO Cantora mogiana faz nova divulgação para a canção que também integra o disco ‘Mais Terra Do Que Céu’, lançado por Paulo Betzler em junho. (Foto:
Lethicia Galo – divulgação)

Lançada há menos de um mês dentro do disco ‘Tem Mais Céu Do Que Terra’, de Paulo Betzler, a canção ‘Fui Pra Ser’ já não é mais uma novidade. Mas seu formato atual sim. Nesta sexta-feira, dia 10, a faixa será disponibilizada mais uma vez, agora como single de Valéria Custódio, cantora mogiana que dá voz a letra sobre a liberdade de ir e vir, a “liberdade de ser”.

A música é a mesma, não sofreu alterações de qualquer natureza. Mas relançá-la como sua é importante para Valéria, que se sentiu “tocada” pelos versos, a exemplo destes: “[…] Como folha me jogo pro vento levar / Quero mais é do pouso tão leve do ar / Em correntes me lanço viajo pro mar / E chegar ganhar mundo poder navegar […]”.

“Se eu pudesse resumir a canção, diria que ela fala do encontro consigo mesmo, a liberdade de ser”, diz a musicista, que aposta num novo plano de divulgação para fazer a faixa alavancar enquanto single. “Por mais que nosso trabalho se encontre em Mogi, nosso público é diferente”, justifica ela, sobre o marketing diferente do feito por Paulo Betzler.

A primeira medida é a criação de um vídeo de lyrics, termo em inglês para “letra da música”, que será disponibilizado no YouTube no mesmo momento em que a faixa chega ao Spotify e outras plataformas digitais. “Este videoclipe vai ser produzido pelo Coletivo Manga Rosa, produtora de Petrópolis, no Rio de Janeiro, com imagens bacanas. Será o primeiro clipe de muitos”, adianta Valéria.

O contato entre a mogiana e a cena carioca já acontece há algum tempo. Em abril, por exemplo, ela apresentou e introduziu outros cantores da cidade à edição online do Festival Artevista de Música Independente, organizado pelo Manga Rosa. ”Minhas ideias batem com o pessoal do Rio”, resume.

Há por lá algo que não se vê por aqui? “Gosto da linguagem deles. Fazem as coisas mesmo com medo, e aqui percebo que o medo das realizações trava muitos artistas”, explica Valéria, que assim como o gestor cultural Rabicho, da Associação Casarão da Mariquinha, estabeleceu uma ponte entre Mogi das Cruzes e Rio de Janeiro, e vem aumentando o alicerce desta construção.

Valéria é inquieta. Depois de lançar o disco ‘Púrpura’, em 2018, passou a produzir eventos e até a apresentar programas online. Ou seja, enquanto artista ela procura fazer o que lhe dá prazer, e ‘Fui Pra Ser’ representa exatamente essa busca.

“Quando estudamos gestão de carreira, descobrimos que não precisamos nos preocupar tanto em agradar os fãs. O artista precisa ter instinto e colocar sua verdade no trabalho”. A “verdade” está exposta não apenas no canto propriamente dito, que foi registrado ainda em 2019, no Estúdio Municipal de Áudio e Música (Emam), mas também nas fotos da nova fase de trabalho.

“Foi a primeira vez que trabalhei com uma fotógrafa, uma mulher, a Lethicia Galo. Ela captou algo misterioso, algo que eu não conheço em mim, e as fotos ficaram muito interessantes”, conclui uma Valéria Custódio cheia de projetos. Uma das novas apostas chega ao vivo no próximo dia 24, nas redes sociais: a volta do show ‘Púrpura’, que já rodou várias cidades e estados do país, agora em versão digital.

Motivos para comemorar

Além do lançamento de ‘Fui Pra Ser’, a agenda de Valéria Custódio está cheia de outros projetos, que “não pararam, mesmo na pandemia”. Está prevista “uma série de vídeos”, como clipes para as canções ‘Flores Pretas’ e ‘Xote Xaxado’, um “mini documentário com imagens de apresentações” e também o retorno do programa ‘É Tudo Ao Vivo!’, proporcionado pela da Movi.Ar (Mostra Virtual de Mogi das Cruzes – A Arte Não Esqueceu de Você).

Apresentado por Valéria, o episódio de retorno do programa de entrevistas será disponibilizado no final de julho, tendo como entrevistada a cantora Karen Santana, com quem a anfitriã pretende realizar parceria musical num futuro próximo.

Além de tudo isso, há outro motivo para comemorar: ‘Flores Pretas’, a canção que foi premiada como ‘Prata da Casa’ no 6º Festival da Canção de Mogi das Cruzes, alcançou novo feito, e agora pode ser ouvida no rádio, mais precisamente na Brasil Atual 98.9 FM.

“Mesmo na era digital, o rádio é maravilhoso e importante ainda. Eu tinha tentado no ano passado mas não consegui colocar a canção lá, e agora rolou. Quando ouvi a introdução, com o violão do Evandro dos Reis pela primeira vez, me emocionei e chorei, me tocou muito”, diz Valéria.


Deixe seu comentário