MENU
BUSCAR
PANDEMIA

Abril é o mês mais letal da pandemia em Mogi e região

Cidades do Alto Tietê contabilizaram 714 mortes no mês, superando o recorde de março de 2021

Fábio PalodettePublicado em 02/05/2021 às 13:03Atualizado há 2 meses
Média móvel aponta crescimento de mortes no Ato Tietê / Foto: divulgação
Média móvel aponta crescimento de mortes no Ato Tietê / Foto: divulgação

O novo coronavírus ainda está longe de dar trégua para Mogi das Cruzes e região. O Alto Tietê acabou de passar pelo mês mais letal de toda a pandemia: em abril último foram registradas 714 mortes, superando o recorde do mês anterior, em março, de 630 vítimas fatais. Os dados são das Vigilâncias Epidemiológicas das cidades.

LEIA TAMBÉM: Órfãos da Covid-19 em Mogi tentam reagir ao luto

Mães dos filhos da 'geração Covid' falam do medo e de esperanças

Apenas em Mogi, foram 154 mortes em abril. O número é 670% ao observado no mesmo mês de 2020, mostrando a força da segunda onda da infecção.

Mogi segue liderando o triste ranking da infecção na região, com 1.049 mortes totais notificadas desde março do ano passado até a última sexta-feira (30), segundo dados da Prefeitura. Na cidade, 22.140 moradores já testaram positivo para a doença. Deste montante, 16.529 conseguiram se recuperar e outros 4.562 ainda enfrentam a Covid-19.

A Covid-19 segue levando nomes queridos da cidade. O artista plástico mogiano Belini Romano morreu na tarde da última quarta-feira (28), aos 60 anos, vítima de Covid-19. Ele estava internado há 15 dias no Hospital Municipal de Braz Cubas.

Além de Mogi, Itaquaquecetuba registrava 674. Já Suzano contabilizava 660 vítimas. Na sequência, estão Ferraz de Vasconcelos (348), Poá (272), Santa Isabel (195), Arujá (227), Guararema (77), Biritiba Mirim (75) e Salesópolis (44). 

A vacinação contra a doença em Mogi será retomada nesta segunda-feira.

O total de mortes na região chegou a 3.621 na última sexta-feira, entre 82.535 casos já confirmados da Covid-19, segundo dados compilados pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat)

Nas cidades da região, 59.597 conseguiram superar a infecção.

Média móvel

A média diária móvel de óbitos de pacientes com o coronavírus na região volta apontar crescimento. Dessa vez, o índice subiu 18% na comparação de hoje com os dados de 14 dias atrás. A média diária de óbitos pela doença passou de 22 para 26.

Em Mogi, a média estava em 5 na última sexta-feira. 

A média móvel de novos casos cresceu, mas de forma mais estabilizada, indo de 352 confirmações diárias da doença para 372 no mesmo período

Nascimentos

A pandemia de Covid-19, iniciada em março de 2020, muda o cenário de nascimentos e mortes em Mogi das Cruzes. Segundo o Portal da Transparência do Registro Civil, em 2020 foram contabilizados 2.193 nascimentos nos quatro primeiros meses do ano na cidade, sendo que desde o início de janeiro a 28 de abril de 2021, nasceram 1.963 -  230 a menos (10,5%). 

Já no caso das mortes, houve 1.349 no primeiro quadrimestre de 2020 e 1.911 de janeiro deste ano até a última quarta-feira (28) - acréscimo de 562 (41,7%) (leia mais).

ÚLTIMAS DE Cidades