MENU
BUSCAR
LUTO

Expedicionário mogiano, Miled Cury Andere, é enterrado no São Salvador

O corpo de Miled foi velado no Velório Cristo Redentor. Ele morreu na tarde desta sexta-feira (15).

Darwin ValentePublicado em 16/01/2021 às 08:50Atualizado em 16/01/2021 às 17:00
Jorge Beraldo
Jorge Beraldo

O professor e expedicionário mogiano, Miled Cury Andere, foi enterrado na tarde deste sábado (16) no cemitério São Salvador. O velório aconteceu no Cristo Redentor. Ele faleceu na tarde de sexta-feira (15), em virtude de complicações pulmonares

Para as cerimônias foram adotados os protocolos sanitários necessários em razão da pandemia do novo coronavírus, o que permite a entrada na sala de até dez pessoas por vez. Também por conta dos cuidados, o velório disponibilizou álcool em gel para todos os visitantes.

Cansaço

Segundo familiares, Miled já vinha apresentando sinais de cansaço nas últimas semanas. No dia 25, quando completou 100 anos, teve a oportunidade de se reunir com a família, de forma virtual, para festejar a data. Membro do grupo de risco, ele estava isolado em seu apartamento desde o início da pandemia e recebia os cuidados de uma das netas, Cristina. 

Ao longo de sua vida, Miled se tornou um dos obstinados defensores da preservação das memórias sobre a participação do Brasil na Segunda Guerra. Dedicou a maior parte de um século a buscar sentido para o conflito e a maneira como os pracinhas foram tratados após a chegada ao País.

Há dois anos ele lançou o livro 'Foi o Frio?', que narra história de um ex-pracinha que se torna herói, mas é abandonado após a guerra e morreu como indigente em uma noite fria em São Paulo. A história começou a ser escrita no final da década de 60.

Professor de História, escritor, voluntário desde a década de 50 da Festa do Divino de Mogi, sendo um dos soldados brasileiros que combateu na Segunda Guerra Mundial, Miled foi um exemplo para as novas gerações. 

Miled Cury Andere nasceu aqui em Mogi, no Natal de 1920. Filho de Maria Tereza e José Cury Andere, de ascendência libanesa, era viúvo de Maria José Andere e tem três filhos: Marcia Aurora, Miled José e Maurício Guilherme. Deixa 13 netos e 15 bisnetos.

Personalidades lamentaram a morte de Miled. "Viveu intensamente seu século", declarou o desenhista Mauricio de Sousa (leia mais). 

O Bispo d. Pedro Stringhini também prestou homenagens e expressou “sentidas condolências".

A Prefeitura de Mogi das Cruzes decretou, em comunicado oficial, luto de três dias,

Em 2003, Miled Cury Andere contou suas histórias na 2ª Guerra a O Diário. Na época, aos 82 anos, ele pretendia "trabalhar em muitos projetos", como no Rotary Club e diversas ações beneficentes.

ÚLTIMAS DE Cidades