MENU
BUSCAR
EDUCAÇÃO

Irmãs Ursulinas deixam a direção pedagógica do Instituto Placidina

Congregação está há mais de 50 anos na direção pedagógica da instituição de ensino de Mogi das Cruzes; motivos do rompimento do contrato não foram oficialmente divulgados

Darwin ValentePublicado em 12/11/2021 às 18:59Atualizado há 2 meses
O anúncio sobre o saída das Irmãs Ursulinas foi divulgado agora há pouco pelo diretor do Placidina / Foto: Eisner Soares / O Diário
O anúncio sobre o saída das Irmãs Ursulinas foi divulgado agora há pouco pelo diretor do Placidina / Foto: Eisner Soares / O Diário

A Congregação das Irmãs Ursulinas da Sagrada Família decidiu rescindir, “de maneira unilateral e irrevogável”, o contrato que mantém, há mais de 50 anos, com o Instituto Dona Placidina, de Mogi das Cruzes. As integrantes da instituição religiosa permanecerão responsáveis pela direção pedagógica da escola somente ate o dia 15 de dezembro próximo, quando encerrarão definitivamente suas atividades, segundo informaram em ofício à direção do Placidina

Nem as integrantes da Congregação e nem a direção do Instituto revelaram os motivos de tão drástica decisão de parte das religiosas que, por mais de meio século vinham à frente do setor de ensino do Placidina, atualmente uma das mais conceituadas escolas do município.

Sabe-se, no entanto, que as relações entre a Congregação e a direção do Placidina vinham se desgastando desde antes do mês de julho, quando aconteceu a demissão da Irmã Elena Ramos Bonfim, que há dez anos respondia pela direção pedagógica da escola. Ela foi demitida pelo padre João Paulo da Silva, que havia assumido a direção da instituição de ensino mogiana, no final do ano anterior, o que provocou protestos de segmentos mais conservadores da cidade, indignados com a medida considerada como “autoritária”.

Comunicado

O anúncio sobre o saída das Irmãs Ursulinas foi divulgado agora há pouco pelo diretor –presidente do Instituto Dona Placidina, monsenhor Antonio Robson Gonçalves, por meio de um comunicado destinado à comunidade escolar, onde afirma  que “em respeito à transparência  que sempre norteou o relacionamento com todos aqueles que fazem parte desta comunidade escolar, informo aos senhores que recebi o comunicado oficial da Congregação das Irmãs Ursulinas da Sagrada Família informando a rescisão do contrato particular celebrado com esta entidade (Placidina), a partir do próximo dia 15 de dezembro de 2021".

Lamentando, o monsenhor Robson Gonçalves cita “a decisão unilateral e irrevogável (como mencionado na carta a ele dirigida)” e diz que “restou-me apenas  acolher respeitosamente o desejo da Congregação e de suas religiosas, e ao mesmo tempo manifestar-lhes  a nossa gratidão por todo o trabalho  e resultados alcançados nas últimas décadas".

Reiterando o compromisso do Instituto Dona Placidina com as finalidades estatutárias consignadas em testamento por seu fundador, cônego João Lourenço de Siqueira, o diretor-presidente  informa também que  “já iniciamos, a partir deste momento, as tratativas para que uma nova congregação religiosa de irmãs seja contratada e possa assumir a Direção Pedagógica do Instituto. Tão logo isso ocorra, comunicaremos a todos, de imediato”.

Monsenhor Robson, por fim, assegura: “Seguiremos nosso trabalho com a absoluta convicção de oferecer sempre um espaço de ensino de excelência aos nossos profissionais pedagógicos e professores, bem com  aos gerentes administrativos, demais colaboradores, pais e mães de nossos estudantes”.

O Instituto Dona Placidina completou, recentemente, 90 anos de atividades na cidade, recebendo homenagens pela efeméride. Mantido pela Fundação de Assistência Social e Educacional, mantém compromisso cristão com ensino que prioriza o desenvolvimento, o protagonismo e a aprendizagem dos estudantes, segundo ressalta em sua missão.

ÚLTIMAS DE Cidades