MENU
BUSCAR
MEIO AMBIENTE

Mau cheiro próximo à Ilha Marabá diminui, mas ainda pode ser sentido no local

Prefeitura confirma que houve furto de materiais elétricos na Estação Elevatória de Esgoto do Mogilar, o que “pode ter ocasionado o mau cheiro”; uma manutenção no “sistema de drenagem de águas pluviais” pode ser necessária, o que depende da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos

Heitor HerrusoPublicado em 29/11/2021 às 17:54Atualizado há 2 meses
Prefeitura de Mogi das Cruzes
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Neste domingo (28), O Diário mostrou que um forte mau cheiro foi sentido pelos frequentadores da feira de produtos naturais que vem sendo realizada nas proximidades da Ilha Marabá, em Mogi das Cruzes. Procurada para esclarecer o assunto, a Prefeitura de Mogi confirma que houve furto de materiais elétricos na Estação Elevatória de Esgoto do Mogilar, e isso “pode ter ocasionado o mau cheiro”, devido a proximidade entre este ponto e a ilha.

O furto ocorreu há 10 dias, em 19 de novembro, e “prejudicou o funcionamento da unidade por cerca de 9 horas”. Com a regularização, o odor de esgoto diminuiu, mas não cessou. Uma manutenção no “sistema de drenagem de águas pluviais” pode ser necessária, o que depende da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos.

A denúncia sobre o mau cheiro foi feita pelo presidente do Instituto Cultural e Ambiental do Alto Tietê (Icati), o ambientalista José Arraes. Atendendo ao chamado técnicos do Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) estiveram hoje (29) no local, acompanhados pelo próprio Arraes.

“O Departamento de Operações do Sistema de Esgotamento Sanitário informa que enviou técnicos ao local na manhã desta segunda-feira (29), que constataram o perfeito funcionamento da estação elevatória – tanto que o ambientalista afirma que o mau cheiro diminuiu”, trouxe a nota da administração pública.

O texto continua e mostra que o “Semae suspeita que o mau cheiro que continua (embora em menor intensidade) venha de uma boca de lobo, do sistema de drenagem de águas pluviais, e não da rede de esgoto”.

Segundo Arraes, a Estação Elevatória “voltou a funcionar hoje, e realmente o odor vindo da estação diminuiu muito”. Ele diz ter falado ao responsável pelo Semae que a estação não poderia “exalar cheiro, pois os filtros não permitem entrada de folhas, papéis, plásticos e o processo de transferência para a ETE é isolante”.

O ambientalista que comenta a existência de uma galeria de tubos quadrados que recebe dejetos sob a rua Doutor Deodato Wertheimer, nas proximidades do local - afirma ainda ter mostrado “uma saída de uma galeria que está destampada em frente ao prédio da Ilha, e esta sim produz um cheiro muito forte e está tampada com uma tábua  facilmente removível”. Ele prometeu “fazer contato com a Secretaria de Serviços Urbanos para marcar uma audiência”.

A autarquia também revela ter entrado “em contato com a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana, responsável pelo sistema de drenagem, para uma vistoria conjunta nas galerias”. A data desta nova visita à Ilha Marabá não foi informada.

ÚLTIMAS DE Cidades