MENU
BUSCAR
MEMÓRIA E FÉ

Peregrinos mogianos enfrentam chuva e começam a semear girassóis no caminho até Aparecida

Grupo iniciou a jornada na madrugada chuvosa deste domingo e pretende chegar a Aparecida na manhã de terça-feira, 12, dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil

Eliane JoséPublicado em 10/10/2021 às 11:02Atualizado há 2 meses
Arquivo Pessoal/Paulo Pinhal
Arquivo Pessoal/Paulo Pinhal

Um grupo de mogianos que iniciou a peregrinação anual até o Santuário Nacional de Aparecida, no Vale do Paraíba, enfrentou muita chuva desde os primeiros quilômetros da caminhada que partiu de Mogi das Cruzes na madrugada deste domingo.

Por volta das 12 horas, eles chegaram até um dos postos do Corpo de Bombeiros, em Jacareí, onde deverão descansar durante a tarde de hoje, para retomar o caminho, à noite.

O diferencial destes romeiros será o cumprimento de uma homenagem aos brasileiros mortos durante da pandemia da Covid-19, idealizada pelo professor e arquiteto Paulo Pinhal, que há 8 anos repete essa rotina de fé e fôlego.

Os integrantes da romaria começaram a semear 600 mil sementes da planta conhecida por uma característica peculiar: se contorcer em busca da luz do sol.

Esse grupo partiu pela rodovia Mogi-Guararema para chegar à Jacareí, pela São Silvestres, e depois de unir aos milhares de peregrinos que utilizam a rodovia Presidente Dutra para chegar à basília, onde as comemorações em louvor a Nossa Senhora Aparecida acontecem no dia 12, feriado nacional à padroeira do Brasil.

Imagens encamnhadas por Paulo Pinhal mostram a força-tarefa preparada para o lançamento das 600 mil sementes, que foram pesadas e distribuídas em saquinhos entregues aos romeiros.

Pessoas de todas as idades fazem parte do grupo que prefere caminhar durante a madrugada e parte do dia para chegar aos pontos escolhidos para o descanso à noite, até a manhã de terça-feira, quando os mogianos pretendem chegar ao destino final.

O Diário entrevistou Paulo Pinhal, que contou o objetivo da homenagem: não deixar as pessoas esquecerem o que foi a pandemia na vida de milhares de famílias que perderam pais, mães, avós e filhos para o coronavírus.(Confira a reportagem completa)

Esse grupo é liderado por Geraldo Gomes Moisés, que há 12 anos, realiza a romaria. Ano passado, mesmo com a pandemia e adotando cuidados especiais, o grupo reuniu 120 anos (veja reportagem publicada por O Diário)

Essa romaria opta pela passagem pela Via Dutra, onde a maior parte dos romeiros se encontra e a viagem é marcada pelo cumprimento de promessas, como o acolhimento daqueles que fazem a travessia religiosa pela primeira vez.

Uma outra opção que ganha popularidade é a Rota da Luz, que tem início em Mogi das Cruzes, e também passou a ser usada por centenas de romeiros a caminho de Aparecida.

O ponto inicial e na Estação Estudantes, onde é possível carimbar o passaporte que certifica o cumprimento da peregrinação pelo caminho de fé e religiosidade.

ÚLTIMAS DE Cidades