Diário Logo

Notizia Logo

Conjunto Cocuera, em Mogi, volta a ser alvo de reclamações de falta de segurança

Moradora há sete anos na estrada Fujitaro Nagao, no Conjunto Cocuera, em Mogi das Cruzes, Rebecca Torre relatou a O Diário a rotina de insegurança que ela e outros moradores têm enfrentado no bairro. Os diversos furtos de fiação dos postes estão entre um dos delitos, mas, apesar de acionada a Polícia, os criminosos nunca […]

23 de agosto de 2022

Reportagem de: O Diário

Moradora há sete anos na estrada Fujitaro Nagao, no Conjunto Cocuera, em Mogi das Cruzes, Rebecca Torre relatou a O Diário a rotina de insegurança que ela e outros moradores têm enfrentado no bairro. Os diversos furtos de fiação dos postes estão entre um dos delitos, mas, apesar de acionada a Polícia, os criminosos nunca foram flagrados. Pichação de muro, falta de iluminação e de calçadas entram para a lista de problemas.

Acidentes de trânsito e a falta de manutenção e limpeza na estrada do Nagao já foram temas de reportagens deste jornal.

“Fiquei até brava esses dias quando gravei duas pessoas pichando o muro. Várias vezes vi gente indo aqui na região para encher a cara, depois sai para dirigir e é perigoso atropelar um bicho ou até uma pessoa, porque não tem nem calçada. Eles picham os muros da vizinhança toda, é muita bagunça”, conta a terapeuta holística.

Na entrevista, a moradora ressaltou os roubos de fios que, por mais que tenham sido denunciados ou a Polícia acionada para atendimento da ocorrência, os suspeitos nunca foram presos.

“De madrugada tem muita gente que sobe nos muros dos sítios e das casas para furtar fio. Direto nós ficamos sem energia e à espera (quando acontece) da Bandeirante (EDP) vir fazer toda a viação novamente”, denuncia Rebecca, detalhando que os crimes foram registrados por câmeras de monitoramento.

Questionada por O Diário, a Prefeitura de Mogi informou que há um sistema de segurança pública da cidade, mantido pela Guarda Municipal, que faz patrulhamento em todas as regiões, incluindo o Conjunto Cocuera, um trabalho em conjunto com a Polícia Militar.

Segundo nota enviada a este jornal, as ações “também compreendem o monitoramento com câmeras da Ciemp, além de grupamentos específicos, como a Ronda Escolar, Patrulha Rural, Patrulha Maria da Penha, Patrulha Ambiental, Rondas Ostensivas com Motos (ROMO) e Ronda Ostensiva Municipal (ROMU)”.

“Para as regiões mais afastadas da região central, a Guarda Municipal conta com o trabalho conjunto da Patrulha Rural e da Patrulha Ambiental, que possuem, inclusive, veículos adequados para transitar em estradas vicinais e locais de difícil acesso. Recentemente, a Patrulha Rural recebeu reforço de mais uma viatura para atender o trabalho do grupamento. Também está em fase de implantação pela Secretaria Municipal de Segurança o trabalho 24 horas da Patrulha Rural”, esclareceu a pasta.

Além dos criminosos que rondam o bairro, o que aumenta a sensação de insegurança dos moradores é a pouca iluminação e a falta de calçadas, que combinados com uma estrada já marcada pelos altos números de acidentes, afetam ainda quem precisa passar a pé por aquela via.

“O povo corre muito com o carro nessa estrada. Digamos que ali é uma rota de escape para aqueles que não querem passar pelos guardar na rodovia a caminho de Bertioga. É comum a estrada ficar muito cheia e os casos de acidentes ali são frequentes”, esclarece a moradora.

A estrada Fujitaro Nagao é uma vicinal que tem início na Mogi-Salesópolis, na altura do Conjunto Cocuera, onde há acesso a propriedades agrícolas e ao histórico Casarão do Chá. A estrada tem ligação com a rodovia Mogi-Bertioga, recebendo alto fluxo de carros e de caminhões.

Os pedidos por melhorias já são exigência de anos de moradores da região, veja esta reportagem.

Sobre as melhorias de infraestrutura urbana, a administração municipal “reiterou que já foi realizada, recentemente, uma grande ação de limpeza e roçada de mato na estrada, que incluiu também a substituição de lâmpadas queimadas”.

Apesar da recente manutenção, a secretaria ressaltou que “solicitará à empresa responsável pela manutenção que faça uma verificação técnica na estrada e providencie a substituição de eventuais lâmpadas que estejam queimadas”.

“A população também pode colaborar neste sentido, informando pontos que precisam de manutenção. Para isso, a Administração Municipal oferece um aplicativo, o Mogi Iluminada, que permite aos cidadãos indicarem pontos que precisam do serviço”, completa a nota.

Reclamações como a relatada na matéria, onde há solicitações de melhorias, podem ser realizadas também pela Ouvidoria Municipal por meio do telefone 156, opção 5.

Em casos de denúncias, a  população pode colaborar com o trabalho de segurança pública com denúncias ao telefone 190 (Polícia Militar) e 153 (Guarda Municipal).

 

Veja Também