CASO

Discussão por bebida acaba em morte

DIÁRIO

Waldir José Ribeiro, de 54 anos, foi identificado pelos investigadores Márcia e Evair, do 2º Distrito Policial, liderados pelo chefe Rogério Sato, como o autor da execução a golpes de faca de Cleber Espedito Eugênio de Almeida, de 54 anos. O crime foi cometido na frente do velório de Braz Cubas, na avenida Henrique Peres.

O delegado titular João Renato Weselowski, do 2º DP, indiciou o acusado em inquérito por homicídio doloso (com intenção) e ao concluí-lo deverá requisitar a prisão preventiva do criminoso.

A versão de Waldir Ribeiro não convenceu os policiais, que encontraram uma testemunha que o contradiz. Ele contou aos policiais que “Cleber depois de bebermos passou a exigir que eu comprasse mais um galote (garrafa) de pinga, mas não concordei e ele pegou uma madeira para me bater”.

De acordo com uma testemunha, que bebia com os dois em um bar, Waldir agiu com extrema violência e sem motivos se afastou e depois voltou armado com uma faca.

O criminoso em três momentos esfaqueou Cleber, o qual depois de ferido no local, cruzou a avenida Henrique Peres, caiu e tornou a receber outros golpes desferidos por Waldir. Logo depois, já gravemente ferido, Cleber correu de volta à frente do velório, e recebeu mais facadas.

Enquanto o autor do crime fugia, Cleber era socorrido por uma equipe do Samu ao Hospital Luzia de Pinho Melo, onde faleceu. Por 10 dias, Waldir Ribeiro ficou foragido, mas ele compareceu à delegacia na companhia de um advogado, e contou a sua versão sobre o assassinato. Segundo a Polícia, o autor e a vítima faziam parte de um grupo de homens que se aglomera e fica se embriagando perto do velório.


Deixe seu comentário