INFORMAÇÃO

Disk Coronavírus de Mogi já recebeu 3.506 ligações

ATENDIMENTO Volume de chamadas recebidas pela central do Samu também aumentou nos últimos dias. (Foto: arquivo)
ATENDIMENTO Volume de chamadas recebidas pela central do Samu também aumentou nos últimos dias. (Foto: arquivo)

Implantado pela Prefeitura de Mogi das Cruzes no último dia 17, o Disk Coronavírus recebeu um total de 3.506 ligações no mês de março. Por conta da alta demanda, um sistema de atendimento eletrônico foi implementado no serviço. Quem tiver possíveis dúvidas médicas sobre a Covid-19 pode ligar para o 4798-5160, onde receberá sete respostas a questionamentos mais comuns. Caso não seja o suficiente, há chance de esperar para falar com um médico.

“Se o paciente estiver com essas dúvidas que vão ser feitas eletronicamente, ele poderá responder apenas digitando a opção desejada. Se mesmo assim continuar com alguma dúvida médica poderá falar com um dos nossos profissionais. Normalmente trabalhamos com dois médicos na regulação, mas foi contatado mais um para ajudar a dar conta dessas ligações”, explica Luiz Bot, responsável técnico e coordenador médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Mogi.

As outras ocorrências médicas da cidade são atendidas pelo serviço comandado por ele, pelo número 192. Agora, Bot ficou responsável também pelo Disk Coronavírus, que apesar de ser acionado por um número de telefone diferente, funciona no mesmo espaço do Samu. Com isso, a quantidade de chamadas na central aumentou muito nos últimos dias.

No último dia 8, quando o Disk ainda não havia sido criado, a central recebeu um total de 804 ligações. Dez dias depois – já com o novo serviço em funcionamento -, esse número saltou para 1.772. Deste total, 463 chamados foram para o telefone exclusivo para falar sobre o coronavírus. Nos últimos dias, entretanto, esse número vem diminuindo (confira quadros nesta página).

“A expectativa era de um índice de ligação bem grande, mas não esperávamos que bateria mais 400 em um dia. O que nós já imaginávamos é que, em no máximo 15 dias, isso diminuiria. É o que está acontecendo, porque as pessoas que tinham dúvidas já ligaram e agora as informações estão muito presentes na mídia, só se fala nisso. Então, é natural que as pessoas tenham um entendimento maior e liguem menos”, considera Bot.

Evitar as idas sem necessidade às unidades de saúde é a principal função do Disk Corona. Isso porque a prática pode fazer com que pessoas saudáveis contraiam a doença, tendo em vista que a maior recomendação atual é de que todos fiquem em casa. Sendo assim, o médico lembra que é importante analisar os fatores antes de procurar ajuda presencial. Uma delas é considerar as comorbidades de cada um e avaliar se a pessoa integra ou não o grupo de risco da doença.


Deixe seu comentário