ENCERRAMENTO

Divino encerra a festa de 2020 com bênção pela internet

RITUAL Dom Pedro Stringhini comandou a cerimônia de queima de pedidos de devotos na noite de domingo. (Foto: Glauco Riccieri)

Ao levar a bandeira e as bênçãos do Espírito Santo a mais de 50 bairros, nove paróquias da cidade e às pessoas que acompanharam as transmissões pelas redes sociais, a Festa do Divino cumpriu os objetivos, na opinião do festeiro e vereador Mauro de Assis Margarido (PSDB). Por causa da quarentena, a passagem dos festeiros por ruas e avenidas, ainda que dentro dos carros, analisa ele, inverteu um ritual, mas não deixou de cumprir a devoção católica.

Em todos os anos, comentou, “os devotos iam até a morada do Divino, desta vez não, o Divino foi até a morada das pessoas”. A alternativa à imposição do isolamento social, seguido à risca pela Diocese de Mogi das Cruzes com a celebração de missas em igrejas vazias, também foi atendida durante os dez dias do festejo, que terminou com a queima dos pedidos feitos pelos féis na noite de domingo.

DESPEDIDA Devotos percorrem as ruas da cidade com o andar no último dia da Festa do Divino deste ano. (Foto: Glauco Riccieri)

No balanço da atividade, Mauro afirma que a Festa cumpriu seu papel. Para isso, os organizadores costuraram algumas mudanças de percurso para não incentivar a concentração das pessoas. “Recebíamos mensagens de pessoas que gostariam de nos encontrar em praças, por exemplo, mas não podíamos atender a esses pedidos”.

A aceitação ao modelo adotado pelas centenas de pessoas que participam de etapas da programação religiosa, como a presença nas novenas, foi um ponto positivo. “Nós temos de agradecer a todos os que entenderam que não podíamos promover a aglomeração. E não tivemos qualquer situação que nos obrigasse a pedir a retirada de algum participante”, afirmou.

As missas da novena foram distribuídas entre paróquias, o que favoreceu a ida dos festeiros aos diversos bairros. Em alguns dias, a caravana formada por cinco carros, no máximo, andou pela cidade durante seis horas. “Nós acreditamos que essa foi a maneira que o Espírito Santo encontrou para ir até a morada dos mogianos”, comentou.

Mauro e a mulher, Cícera Alecxandra, e o casal Maurimar e Roberta Fadoni Batalha, serão os festeiros e capitães de mastro da festa de 2021. O evento já nasce com a estrutura planejada. “Tudo o que estava acertado, poderá ser melhorado para o próximo ano”. O tema será o mesmo: “Divino Espírito Santo, fortalecei-nos na caridade e conduzi-nos à santidade”.

Tendência

Com picos de audiência de cerca de 800 pessoas na novena, e a interação com mais de 3,5 mil pessoas no decorrer de transmissões pelas redes sociais, o uso desse meio de comunicação poderá se manter no futuro na igreja católica. “Essa comunicação se mostrou favorável e será tendência como notamos em outros setores. É um caminho sem volta”, prevê o festeiro.

Rifa

Outro compromisso mantido é a rifa de um carro zero quilômetro e outros prêmios, programada para ser sorteada no dia 19 de dezembro. Cada número custa R$ 10. A ideia era vender os números durante a quermesse. As entidades, no entanto, continuam com os talões e receberão 40% do valor arrecadado. A expectativa é de se conseguir vender 30 mil unidades. “Mas, com a crise econômica, não sabemos se o objetivo será atingido”, pondera o vereador.

Capitão testa positivo para a Covid-19 e se afasta

Após sentir a perda do olfato, um clássico sintoma da Covid-19, o capitão do mastro e investigador de polícia Maurimar Fadoni Batalha suspendeu a participação da Festa do Divino na última sexta-feira. Um exame realizado no mesmo dia, em hospital em São Paulo, confirmou a suspeita dos sinais leves que o mantêm agora em quarentena.

A esposa dele, Roberta, e os filhos foram testados, mas não apresentaram a presença do novo coronavírus no organismo.

Segundo o festeiro Mauro Margarido de Assis, dez dos organizadores da Festa do Divino que participaram da programação estão sendo monitorados. “Todos tomaram muitos cuidados e se mantiveram em seus carros, com o uso de máscaras e do álcool gel”, comenta.

O grupo de participantes da organização circulou pela cidade e pelas paróquias integrantes da novena desde o últmo dia 21.

A restrição da participação, inclusive de membros da Associação Pró-Divino, foi seguida até o domingo, quando aconteceu o encerramento da Festa do Divino com a presença de 10 casais convidados, na Catedral de Santana.


Deixe seu comentário