Engenheiro calcula que Mogi das Cruzes deve atingir 1,9 mil casos da Covid-19 até 30 de junho

Desde o início de abril, quando foi implantado, o novo serviço já atestou 45 óbitos domiciliares, , incluindo casos suspeitos do novo coronavírus. (Foto: divulgação)
Cidade já chegou a 770 casos confirmados da doença. (Foto: divulgação)

Mogi das Cruzes pode contabilizar aproximadamente 1,9 mil casos confirmados de Covid-19 até o dia 30 de junho, de acordo com simulação realizada pelo engenheiro José Roberto Kachel dos Santos. O profissional acredita que o pico do novo coronavírus na cidade ainda está longe de ser alcançado e não deve ser observado dentro das próximas semanas, caso os fatores de proliferação continuem os mesmos.

“Infelizmente, a matemática mostra que o Dr. Henrique Naufel, secretário de Saúde, provavelmente, está equivocado quando prevê que em duas semanas será atingido o pico de contaminações”, acredita Kachel. “Ao contrário, vamos chegar a cerca de 1 mil novos casos e continuar subindo”, destaca.

O engenheiro acompanha a evolução da Covid-19 em Mogi e no Alto Tietê. Com base nos dados divulgados pelas Vigilâncias Epidemiológicas é possível fazer projeções sobre o crescimento do vírus, que diariamente mostra seu poder de rápida proliferação. Porém, como defende o próprio secretário, é difícil prever corretamente o avanço do vírus, que dependente de diferentes fatores, como a adesão da população ao isolamento social.

“De 19 de março a 8 de maio foi registrado em média 8 novos casos por dia. De 12 a 22 de maio, essa média cresce, assustadoramente para 33 novos casos/dia, devendo chegar a 1.896 em 30 de junho”, simula Kachel.

“Com os dados disponíveis temos uma curva exponencial ascendente. A indicação de achatamento será quando o número de casos por dia começar a decrescer”, explica ele. “Isso pode acontecer se o isolamento subir. No momento está péssimo, em 47%”, destaca.

Já na região, são previstos 10 mil casos até o dia 30 de junho. “É sabido que muitos pacientes do Alto Tietê são encaminhados para Mogi”, destaca Kachel.

Dados apresentados pela Saúde na semana passada em reunião na Câmara de Mogi mostram que quase metade (45,3%) dos atendimentos relacionados à Covid-19 realizados até então na cidade são de moradores de outros municípios.

Para se preparar para o avanço da doença, a Saúde de Mogi avaliou todas as possibilidades de aumento do número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) tanto nos hospitais públicos quanto nos particulares. No Hospital Municipal, eram 10 vagas do tipo. Hoje esse número chega a 35.

Além disso, o hospital de Campanha de Mogi, com capacidade para 200 leitos de retaguarda, se prepara para iniciar os atendimentos de forma gradativa na próxima semana, conforme noticiado por O Diário.

O prefeito Marcus Melo (PSDB) participou na última terça-feira de reunião com a Secretaria de Estado da Saúde. A pasta assumiu o compromisso de ampliar 198 leitos para o atendimento de pacientes de coronavírus na região, sendo 60 no Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti, em Mogi.

Apesar de bem-vindo, o anúncio não é tranquilizador já que o Alto Tietê, junto com Guarulhos, contabiliza a maior taxa de letalidade da doença na Grande São Paulo, e deve contar com essa ampliação da rede de saúde somente a partir de 15 de junho.

Melo afirmou anteontem que 81% dos leitos públicos de UTI de Mogi e 75% da enfermaria estavam ocupados. “Os hospitais privados estão com uma ocupação grande também e nós identificamos um crescimento nos últimos dias”, destacou.

Doença avança na cidade

Silvia Chimello

Mogi das Cruzes atingiu nesta sexta-feira (23) 770 casos confirmados da Covid-19, com o registro de 60 óbitos no município provocados pelo novo coronavírus. Os números foram divulgados na tarde de ontem pela Secretaria Municipal de Saúde, que prevê aumento do número de casos da pandemia nas próximas semanas.

A cidade fechou o balanço desta sexta-feira com 3.459 notificações suspeitas de mogianos com a Covid-19. Mogi das Cruzes já recebeu 3.459 notificações suspeitas de Covid-19. Desse total, 2.180 casos foram descartados: 1.949 testaram negativo e 231 dispensados de coleta. Há ainda 509 pessoas aguardando resultados de exames.

De acordo com a Pasta, 770 pessoas testaram positivo nesta sexta-feira, 42 a mais do que anteontem. Em 24 horas, o município teve mais quatro mortes, chegando a 60 óbitos. Outros dois  óbitos suspeitos de Covid-19 estão em investigação.

Entre esse grupo comprovadamente infectado pelo novo coronavírus até o momento, 394 já se recuperaram e 316 são casos ativos. Os números das cidades da região não foram atualizados ontem pelo Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).

O secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, confirma o aumento no número de casos em Mogi das Cruzes. Ele disse que a cidade está com mais de 60% dos leitos destinados a pacientes de Covid-19 na rede pública, o que motivou a abertura, na próxima quarta-feira, do Hospital de Campanha, instalado na avenida Cívica, no Mogilar, equipado com 200 leitos para atender a demanda.


Deixe seu comentário